Namorando um homem em um relacionamento

Como Namorar um Homem que Tem Filhos. Você está namorando com um homem que é pai, mas e agora? Hoje em dia, é cada vez mais comum ter um relacionamento com uma pessoa que já tenha filhos de um casamento anterior. Porém, como lidar com essa... Como sinalizar antes mesmo de começar a conversar com um homem que você está interessado em um relacionamento sério; MÓDULO #4: ABORDAGEM Uma simples formula de 4 passos para eliminar a ansiedade no momento da abordagem – em poucos minutos, você será capaz de sentir-se confiante toda a vez que quiser se aproximar de um cara em qualquer ... Mas acho que há um desequilíbrio de poder inerente em um relacionamento quando um dos parceiros é significativamente mais velho. ... e eu também não sinto com o homem que estou namorando ... No momento em que você escolhe namorar um homem com filhos e que você passa a ter um relacionamento sério com ele, a maioria de seus planos na vida mudará pois há muitos fatores envolvidos nesse tipo de relacionamento, então você deve estar disposta a aceitar as conseqüências de estar com seu grande amor. Quando uma pessoa não está interessada em um relacionamento sério , os sinais costumam ser claros. No entanto, se estamos apaixonados por alguém, geralmente só enxergamos aquilo que queremos ... Quando você entra em um relacionamento com outro homem, também é importante se concentrar em sua saúde e bem-estar. Aqui estão várias considerações ao desenvolver um relacionamento com outro homem. Status de relacionamento. Saber o que você e seu parceiro esperam em seu relacionamento é muito importante. Um relacionamento monogâmico ... Um homem divorciado que já passou por um casamento difícil provavelmente não está interessado em apressar as coisas. Isso significa que você tem que ser paciente para conseguir atingir diferentes metas do relacionamento, o que leva algum tempo. 2) O Cara Que Está Em Uma Nova Fase Quando alguém fala sobre esse cara, você logo se lembra dele namorando e sempre é um relacionamento sério. Ele pode até não parecer muito feliz, mas todas as evidências mostram que ele irá se casar logo. Um relacionamento com pessoas divorciadas tem seu próprio tempo. Conhecer a família e esse tipo de coisa demorará mais do que em outros namoros, mas não tem problema. Mesmo quando um casamento acaba numa boa, leva um tempo para que os envolvidos se recuperem e estejam prontos para outra. Entenda pelo que seu parceiro está passando.

Historico de merdas até 2014

2020.09.24 05:14 HondyS Historico de merdas até 2014

Não tem jeito poético ou "bom" de começar a falar sobre a própria vida como se ela fosse algo surpreendentemente interessante, ou triste.
Então vou começar do começo:
Algum dia no ano de 2007
Quando se trata de "primeira memória" eu não sei o que vem na cabeça das pessoas, por isso eu acho importante citar a minha memória mais lúcida e mais antiga, antes que ela suma da minha cabeça que nem tudo que veio na sequência dela.
Me lembro de ter sido a primeira e última vez que me vi brincando com minha mãe.
Estavamos no terreiro da casa da minha avó, brincando na terra com alguns carros que eu tinha, ela sentada num tijolo e eu sentado no chão, que era basicamente terra com mato.
Me lembro de vê-la sorrir antes de ser chamada por minha avó para resolver alguma coisa, ela me deixou brincando sozinho.
Aquela foi a primeira vez que eu me senti amado, mesmo que por pouco tempo. Eu queria muito lembrar de muito antes disso, e na verdade até lembro, mas são fragmentos distorcidos demais para se chamar de "lembrança" de fato.
2008
Considero esse ano o mais marcante da minha vida, por alguma razão eu sinto que MUUUIITA coisa aconteceu em 2008...
Eu lembro de ter amigos, de brincar com eles todos os dias, de me sentir trocado quando eles brincavam com outras crianças, de me sentir sozinho quando minha mãe ia trabalhar na cidade vizinha..
Eu sentia tanta coisa pra um moleque da minha idade, mas todos os sentimentos tristes iam embora quando algo feliz acontecia. Lembro de ter ganhado uma bola gigante que um cara passou vendendo, com um suporte de ferro gigante junto de um carrinho, haviam dezenas de bolas iguais e eu havia ganhado uma delas. Meu avô havia me dado.
Lembro dele ser muito bom pra mim, ele é assim com todos os netos dele, e se eu possuo uma memória ruim daquela época com ele eu prefiro esquecer, provavelmente eu fui danado demais e mereci levar algumas reclamações, ou talvez uma chinelada... Não sei dizer o que realmente aconteceu, mas como uma criança eu nunca deixei de amar ninguém por isso, as vezes passamos do limite em sermos chatos né.
Hoje em dia eu costumo olhar do passado e culpar essa criação como a principal fonte dos meus sentimentos reprimidos, do meu ódio.
Talvez tenha sido isso mesmo, mas 2008 não foi so onde meu ódio nasceu. 2008 foi quando eu descobri os principais sentimentos humanos e a natureza deles. Eu descobri que gostava de Garotas ao me aproximar da minha prima bobona. Eu percebi que eu estaria sempre sozinho se eu fosse depender dos meus amigos. Eu aprendi que eu não devia confiar nem mesmo em quem dizia ser minha família. Também aprendi o que é perder alguem... e aprendi que quem tem um pai presente, tem muita sorte.
Muito mais coisa aconteceu em 2008, se eu fosse fazer um "não-resumo" de tudo, seria grande demais, vamos pular para os anos seguintes que originaram meus principais traumas psicológicos e físicos.
2010 - 2014
Estava tudo ocorrendo normalmente e eu aparentemente cresceria como uma criança normal e fragilizada devido a criação precária em relação ao meu psicológico, pois para minha mãe, só ter comida na mesa bastava, e eu não culpo ela, que pais se importam com a saúde psicológica dos filhos? Se você não é um aleijado, eles não estão nem ai.
Mãe achou que era uma boa ideia por um homem na nossa vida depois que meu pai parou de ser uma opção definitiva. Foi ai que conheci meu futuro padrasto e fruto do meu ódio. Vamos chama-lo de "Merdastro" em homenagem a Chloe.
(Aquela personagem de life is strange, que você talvez conheça)
Meu Merdastro fisgou minha mãe como uma garrafa de farofa atraí uma Piaba. Ela mal conheceu ele e já estava namorando, não demorou muito pra eles se juntarem numa casa só e minha vida virar um inferno.
Como todo Merdastro, ele começou amigável no começo, me tratando como se eu fosse o irmão mais novo dele, afinal ele só tinha 18 anos, era quase a idade pra ser meu irmão mesmo. Mas com o passar do tempo ele revelou sua verdadeira face.
Ele era um filho da puta que implicava por qualquer motivo e que enchia a cara sempre que podia pra fazer confusão dentro de casa, e quando ele brigava comigo, mãe estava sempre do lado dele pra apoia-lo. Isso me feria profundamente pois eu amava ela demais, e vê-la me ignorar para seguir aquele maníaco me fazia ficar muito pistola. Um dia por que eu não parava de chorar devido a ela não me deixar sair de casa, ela resolveu que seria uma boa ideia me bater com uma corda molhada, isso por que meu padrasto me mandou calar a boca diversas vezes e eu continuei chorando.
Talvez para ele não me bater, ela se colocou no lugar. Talvez ela se arrependa, pois ela nega até hoje e diz que eu inventei isso, porém NÃO.
Nesse dia depois de levar uma surra e ficar com as costas marcadas, eu pulei a janela de casa e em seguida o muro, corri pra casa da minha avó em busca de abrigo e mãe foi me buscar logo depois, ela discutiu com meu avô mas logo isso passou batido como qualquer problema familiar comum.
Os anos foram passando e meu padrasto se tornava ainda mais cuzão, eu evitava ficar muito tempo em casa, então eu tava sempre na rua brincando com meus amigos, fazendo o possível pra me divertir antes de ter que encarar um inferno quando voltasse pra casa. Por sorte meu Merdastro era Crediarista então uma parte do mês eu só tinha que aguentar mãe no meu pé, e ela era mais amorosa quando ele não estava por perto, mais calma... É isso que chamam de amor, porra?
Eu aproveitava pra caralho brincando com meus amigos na época, vou chama-los por codinomes pra evitar expor eles.
Eramos cinco no total:
Absorvente
Macaco
Tijela
Hentai
Cachorra
SIM VADIA ESSA ERA MINHA CREW
Iamos pra de trás da casa de Hentai para brincarmos nos cajueiros, que era tipo mato, arvores fáceis de subir, nosso esconderijo e base do "clube", chamemos assim. Naquela época eramos todos crianças burras e ingênuas, passavamos o dia e a noite toda fazendo merda. Já ficamos presos em cima de uma arvore por que um boi ficou em baixo dela e não nos deixou descer. Já fizemos armas com canos e bexigas, essas que atiravam feijão. Lembro de mãe ficar puta comigo por que eu desperdiçada um saco de feijão brincando de "call of duty" na rua com eles, já quase ceguei Macaco com um tiro de feijão na fuça, bons tempos.
Eu poderia contar como conheci cada um deles mas eu acho isso bem chato então vamos de timeskip.
Um ou dois anos depois de tudo isso, meu padrasto chegou bêbado em casa e quis dar uma surra em mãe na minha frente, mas ele estava tão tonto que só quebrou uma mesa de vidro em vez disso. Mãe usou alguma artimanha de mulher (vocês sabem o que é) e conseguiu leva-lo pro quarto, fazendo-o dormir.
Logo depois disso nois dois pulamos a janela e fomos ate a casa da minha avó procurar ajuda. No dia seguinte ele foi preso.
Porém minha alegria durou pouco, mãe retirou a queixa um dia depois. Ela se separou dele depois disso.
Nos mudamos para uma casa diferente e aparentemente mãe havia se tornado uma solteirona cachaceira cheia de amigas piriguetes, essa época foi reveladora pra mim em quesito PUTARIA, pois essas amigas de mãe falavam muita merda e as vezes eu era obrigado a ouvir. Uma delas vendia produtos eróticos, tipo lubrificantes, calcinhas comestíveis e remédios para velhos-casados-broxas poderem levantar o pinto. MEU DEUS COMO ESSAS COISAS (exceto o lubrificante) eram vergonha alheia.
Até ai tudo bem, mãe saia para beber e me levava junto pra todo bar e festa, que eu soubesse ela não se envolvia com ninguém. Por que... ADVINHA, PLOT TWIST: ela ainda gostava do Merdastro.
Uma noite ela resolveu trazer ele pra nossa vida de novo, quando eu implorei chorando pra ela não fazer isso, ela me mandou calar a boca. E subiu com ele pra fazer vocês sabem o que. E eu tive que me contentar com o barulho deles e meu choro de fundo.
Foi nessa época que meu ódio começou a ser cultivado pra valer.
Não acabou ainda, até 2014 tem chão...
Não citei antes, mas um problema me incomodava já fazia um tempo. Eu tinha um tumor ósseo na lateral do meu joelho, ele aos poucos estava me impedindo de ser alguém fisicamente ativo, por "sorte" ele era benigno e não iria se espalhar e me matar. E também por "sorte", era muito raro e ninguém sabia como resolver. O diagnostico foi que eu não poderia retira-lo até parar de crescer, pois iria deixar minha perna maior que a outra. Eu estava condenado a viver com aquilo me limitando por alguns anos, e foi ai que perdi minha única forma de escapar de casa pra me divertir.
Sem poder correr, pular, chutar ou escalar, eu vivia dentro de casa jogando no computador e aguentando os surtos de mãe.
Sempre que eu tentava ignorar meu tumor e correr, eu sentia uma forte dor aguda, como se alguem tivesse acabado de moer meu joelho num triturador. Era horrível e não desejo isso pra ninguém.
Pra piorar tudo, não passamos um ano sem o babaca, e não bastou pra mãe transar com ele escondido, ela resolveu aceitar o pedido de desculpa dele e repensar o relacionamento dos dois.
Ele levou a gente numa pizzaria para se desculpar e pedir perdão. Ele chorou pra gente enquanto prometia melhorar. Enquanto mãe chorava com ele, tudo que eu fazia era observar com um olhar de "Pff, patéticos"
Como eu não tinha opinião ali, Não importava o que eu fizesse, ela iria aceita-lo de volta. Quando eu cheguei em casa depois daquilo eu gritei muito com ela.
Ela me disse: "quando você amar alguem um dia, você vai me entender"
Isso pode ser qualquer coisa, por mais estúpida que seja, mas amor não era. Infelizmente por uma decisão egoista dela, eu seria obrigado a passar pelo exato mesmo inferno de novo.
Mais tarde em 2014
Ano desgraçado né? Espera só.
Algum dia eu continuo isso.
submitted by HondyS to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 21:25 hiroshibear O namorado de minha amada.

O título é interessante e por vezes pode ilustrar algo cômico. A situação na totalidade é confusa, complexa e cansativa, o que me fez repensar e evitar postar algo aqui durante um bom tempo.
Contudo nós cansamos, ficamos exaustos e precisamos absorver e observar com opiniões de outrem, que felizmente, não estão envolvidos e não possuem vínculos com nenhum dos citados aqui.
Conheço uma menina fazem alguns anos, nós sempre conversamos e tivemos uma relação interessantíssima. Ela é uma daquelas meninas que gostam de arte, de literatura, poesia e de estar em situações que liberam a adrenalina em seu estado mais puro.
Ela me contou que estava namorando e que estava feliz com isso. Prontamente desejei meus votos sinceros para o amor que continha a sua iniciação a partir daquele ponto.
Nós continuamos conversando, trocamos mensagens e saímos para tomar umas bebidas, entretanto sem malícia alguma, apenas na amizade mesmo. Éramos acompanhados por outros amigos e a nossa relação enquanto amizade estava intensa e belíssima. A realidade é que sou apaixonado por ela.
Cerca de alguns meses atrás, a recebi em minha casa, chorando e sem entender absolutamente nada. Os braços dela estavam machucados e ela estava com um olhar pesado, como de quem havia chorado muito e só gostaria de relaxar um pouco. A propósito, pouco a pouco as peças foram se encaixando e entendi a situação.
Fran estava sofrendo com ameaças, abusos emocionais e, em específico naquela noite, com uma agressão verbal e física. Ver ela daquela maneira corrompeu um pedaço de meu sentimento e chorei junto a ela.
Prontamente me coloquei a favor dela, deixando-me a sua total disposição, conversando e dando todo o suporte emocional que fosse necessário.
Fran me disse que iria terminar com ele na noite seguinte, por mensagem e que estava com medo de sofrer com represálias de amigos e parentes, além do medo de ocorrer ataques e perseguição vinda do Guilherme, que é o atual ex namorado dela, pasmem.
Estava exaltado, queria correr atrás dele enquanto precisava dar suporte e carinho para ela. Sou um homem que segue o lado racional, portanto, ela me mostrou todos os machucados e eu fiquei fazendo os curativos nela.
Quando eram por volta de três e meia da manhã, a chamei para ir dormir, e nós fomos. Ela tentou me beijar e eu recusei em respeito aos votos de fidelidade ao atual relacionamento.
Disse para ela que, caso quisesse ficar comigo, que teria que terminar o relacionamento primeiro. E que isso, embora ele possa até merecer, é algo injusto e que não cabe a mim. Fran concordou e se deitou ao meu lado para dormir.
Noutro dia tudo correu bem, ela terminou e me contou pessoalmente. A notícia se espalhou até que rapidamente, visto que nós moramos próximos de nossos amigos e somos quase que vizinhos um do outro.
Eu e Fran ficamos algumas vezes, transamos, trocamos cartinhas e todas as coisas fofas que vocês podem imaginar. Até chegarmos no estágio de anteontem.
Anteontem nós estávamos conversando sobre o futuro, e ela gradualmente foi me revelando suas inseguranças e seus planos. Me confessei para ela, disse tudo o que eu sentia, disse o quanto eu a amava e o quão seria bom ter ela todos os dias.
Fui retribuído, embora não fosse da forma que eu tenha pensado que ela faria. Acredito que a vergonha e a sinceridade da situação acabou ocasionando isso.
Agora, cá estou eu, pensando em como pedir Fran em namoro. Ela é uma menina bela, e eu a amo, amo o suficiente para querer ficar com ela durante toda a minha vida. O problema é que, assim que a pandemia acabar, ficarei mais distante fisicamente, pois terei que me mudar.
Ficarei um ano fora para resolver questões de família e ela poderia ir comigo caso pudesse e quisesse. Acredito que querer pode até ser que sim, todavia ela ainda está com certa dependência ao trabalho e ajuda a cuidar da mãe que está doente.
O que vocês fariam, amigos?
Fraternalmente, Anônimo do Reddit.
submitted by hiroshibear to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 20:56 soulandthesea acho que ter levado um pé na bunda foi a melhor coisa que me aconteceu

então, meu namorando de 2 anos terminou comigo faz duas semanas.
e doeu (dói ainda, pra falar a verdade). mas ao mesmo tempo eu to tão mais... tranquila, calma, em paz. ele me estressava, me dava ansiedade. o apartamento que a gente dividia agora é só meu, e não tem mais sujeira e lixo dele em todos os cantos. agora tá tudo limpinho, cheiroso, bonito. do jeito que eu gosto.
comprei um sofá novo e umas pinturas pra parede. transformei o escritório dele em um walk in closet pra mim. durmo com meu gato no meu travesseiro, coisa que ele nunca deixava porque não gostava de bicho na cama. posso fazer xixi com a porta aberta sem ter vergonha. tá sendo ótimo.
nunca mais vou namorar alguém que não "conseguia ver um futuro comigo". nunca mais vou me fazer menor pra não intimidar homem. aprendi o meu valor, sabe. minha terapeuta quase bateu palma quando eu disse que a gente terminou e não ia voltar.
to saindo bastante com amigos e acho que vou começar a fazer aula de italiano. tenho ido bastante a academia e até uns problemas autoimunes de saúde que eu tenho tão melhorando porque não tenho mais estresse. que sorte a minha sair desse relacionamento antes que ficasse mais sério e eu me machucasse ainda mais.
adoro esse sub porque moro no canadá há 12 anos e meu ex-namorado não fala português (e eu sei que ele lê e dá upvote em todos os meus posts). vou ficar bem e sarar e to animada pra uma vida focada em mim, sem viver pros outros :)
submitted by soulandthesea to desabafos [link] [comments]


2020.09.04 15:16 pardobsb Mulheres não são interesseiras (em geral) mas buscam segurança.

Eu sei existem mulheres "aproveitadoras" que gostam de viver às custas de algum homem trouxa. Mas dá mesma forma existem homens folgados que vivem às custas da mulher.
MAS O PONTO AQUI É OUTRO Eu tenho duas graduações mas sou desempregado (mesmo empregos que necessitam pouca qualificação não me contratam). Eu conheci essa mina na academia e estamos caminhando para ter um relacionamento, até que ela conheceu um cara que estava formando em medicina. Aos poucos ela se distanciou e agora eles estão namorando. Eu me senti um lixo (por isso e vários outros fatores). Mas eu aprendi essa lição, por mais legal e/ou bonito que eu seja ainda sou um cara desempregado e qualquer um que olhar de fora vai me ver apenas como um vagabundo que ainda mora com os pais após os 25 anos... É só um desabafo triste de quem não aguenta mais tentar (não só por causa dessa história) ser um "homem de verdade"... Talvez eu nunca alcance esse patamar
submitted by pardobsb to desabafos [link] [comments]


2020.08.17 02:59 gimme-that-potato Uma das melhores decisões que tomei foi começar a tomar remédio para depressão

Olá, meus queridos.
Como o título sugere, venho aqui compartilhar minha experiência, pois acredito que possa acabar ajudando alguém aqui. No mais, vou poder pôr algumas ideias em ordem e poder dar uma desabafada. Tentarei ser breve, mas sei que não vai rolar rs, e acredito que meu texto não será tão linear.
O negócio é o seguinte: nunca fui apaixonado pela vida, de modo geral. Sempre fiz minhas coisas e tudo mais, mas essa tendência já me fez ficar para baixo (talvez algumas vezes depressivo) em algumas partes de minha vida. Nada disso me impediu de viver normalmente, sentir alegria, felicidade, paixão, correr atrás do que gosto, etc.
Acontece que ano passado estava em uma época braba. Havia terminado a faculdade, saído do emprego para prestar um concurso que não passei, e estava desempregado. Porra, estar desempregado é foda. A sensação de ficar em casa sem produzir é péssima.
Chegou uma hora que quis me cortar. Nada de suicídio, e nunca acreditei que pudesse fazer isso (apesar de estar com a constante sensação de querer nunca ter nascido), mas não deixa de ser um sintoma bem preocupante. Quando comecei a me dar uns pequenos cortes (escondidos), entendi que era hora de voltar pra terapia. Voltei para a mesma psicóloga que conheço há uns anos e confio bem.
Cabe aqui fazer um parênteses sobre depressão: há vários jeitos de melhorar esta doença. Contudo, tem um estudo recente que analisou a mistura entre dois tratamentos variados (ioga com psicólogo; meditação com psiquiatra; prática de esportes com meditação; etc.), e a melhor combinação de tratamento encontrada foi: acompanhamento psicológico junto com psiquiátrico. Não significa que tem que deixar outros tratamentos de lado, mas essa foi a melhor fórmula comprovada para combater.
Outra coisa: se você quer buscar um psicólogo, o que super recomendo, não importa a linha que ele ou ela segue. Freud, Lacan, Jung... nada disso importa. São ferramentas elaboradas para chegar em um mesmo objetivo. O que importa é você encontrar alguém que você vá com a cara. Alguém que você confie em desabafar. Não adianta conversar com um psicólogo pica das galáxias se você não se sente à vontade com ele.
Enfim. Começando a terapia, comecei a perceber diversos outros sintomas. Já não estava com a mesma concentração de antes. Me perdia no meio de frases. Estava me desconectando do mundo. Até atividades mais prazerosas estavam soando trabalhosas ou cansativas demais para mim. Meu prazer em coisas comuns, como comer algo bom, estava diminuindo. Foi a primeira vez que minha psicóloga sugeriu eu procurar um psiquiatra para me ajudar.
De início me senti mal, pois nunca tomei remédios para a cabeça. Mas depois veio um certo alívio: eu simplesmente estava doente, como uma gripe, e talvez precisasse só tomar um remédio. Você tem ideia de como é um alívio entender que sua mente te prega peças, e o motivo de você estar mal pode ser simplesmente algo fora de seu controle? Como uma mera desregulação hormonal, ou falta de algum receptor no cérebro, algo assim.
Falando com o psiquiatra, ele me passou um remédio relativamente novo, que, a grosso modo, estimula a produção de receptores de certos neurotransmissores na minha cabeça. Em outras palavras, ele estimula o cérebro a "captar mais prazer", ao invés de criar o prazer em si (como uma droga ilícita geralmente faz). Tanto é que é um remédio de tarja vermelha, e que não vicia (apesar de dar efeitos colaterais).
O início do tratamento foi bem ruim. O primeiro efeito colateral era a sensação de estar sonhando, ou na beira de uma grande ansiedade. Como se eu estivesse caindo, mas aquela sensação de "estar caindo" tivesse durando minutos. Isso me fez aprender a deixar rolar, sabe? Eu sabia que era um efeito do remédio, então não podia fazer nada, senão deixar acontecer, seguir com a maré. Eu diria até que eu pude aproveitar minha ansiedade. Sentia que era o remédio que me causava essa aceleração, mas que era ao mesmo tempo ele que me possibilitava ter esse "freio".
Outro efeito ruim foi o sono. Na verdade era mais uma vontade incontrolável de bocejar em si do que sono.
Como um outro possível efeito era falta de libido, óbvio que nos primeiros dias a primeira coisa que fui testar foi a masturbação. Confesso que foi bem difícil chegar no orgasmo, parecia que eu ia criar fogo com as mãos hehe. Por outro lado, um tempo depois minha libido até melhorou, pois minha depressão me fazia não querer buscar sexo. Minha namorada me apoiou durante tudo isso e entendeu, quando conversamos, que o sexo poderia piorar, o que felizmente não ocorreu.
Depois esses efeitos melhoraram (acredito que em até 2 semanas). O de sono e bocejo passou por completo, assim como o da ansiedade. Eu sentia que o remédio era um freio para minha ansiedade. Se eu fosse um carro, era como se o remédio colocasse uma trava na velocidade máxima. Sentia ele me ajudando.
Uma coisa que demorou para melhorar foi meu fluxo intestinal. Estava acostumado a ir ao banheiro todos os dias, às vezes até duas vezes (aqui cabe ressaltar que sou homem e, quando comecei a tomar o remédio no ano passado, estava com 26 anos). O remédio me fodeu com isso. Comecei a passar uns dias sem ir ao banheiro, ou ficar totalmente desregulado. Hoje, meses depois, isso já melhorou 100%.
Umas semanas depois comecei a ter um pouco de insônia, que até hoje vem e volta, mas nada que me atrapalhe.
Mas nada disso chega perto ao que o remédio me proporcionou: a capacidade de sentir prazer banal, no dia a dia, como ao ver um pôr-do-sol, ouvir uma música foda, ou comer algo gostoso. Hoje nem parece que eu tomo remédio. Faz parte da minha rotina: eu acordo, tomo meu comprimido, meu café, e sigo com o dia. Às vezes penso que deveria ter buscado um psiquiatra antes.
Claro que o tratamento é temporário. Eu sinto um pouco de falta de poder "curtir mais minha angústia" quando não tomava remédio, pois isso me ajudava a compor música ou escrever algo. Hoje me sinto melhor sabendo que estou mais pronto para terminar o tratamento (que demora no mínimo 6 meses, se não me engano até 2 anos). Também sei que, se voltar a ficar mal daquele jeito, tenho mais ferramentas para usar ao meu favor.
Se você está mal, não tenha vergonha de procurar um psiquiatra. Não coloque barreiras que não existem. Se você estivesse com febre, você iria no médico. Pode ser que sua depressão seja simplesmente uma reação física de seu corpo, e não uma mera falta de vontade (aliás, acho que nunca é, pois vontade de estar bem todo mundo tem). Até porque, uma pessoa com a vida 100% boa pode sofrer de depressão. Como falei, pode ser por algo idiota, como uma desregulação de seu corpo, algo hormonal, etc.
Pense nos remédios como uma rodinha extra numa bicicleta: ele vai servir de apoio para seu cérebro reaprender a andar sozinho, e, então, quando estiver pronto, vai poder andar ser as rodinhas.
Uma questão é que eu dei sorte. Um dos meu melhores amigos demorou uns bons anos para encontrar o remédio certo para ele. Ele tentou de tudo, várias terapias, e finalmente achou esse remédio (que é o mesmo que o meu, por coincidência), junto uma terapeuta de confiança. O cara até conseguiu assumir ser gay e hoje está namorando e feliz em um relacionamento, o que me deixa muito feliz.
Quando compartilhei essa história com outro amigo, ele confessou que estava tomando remédios para a ansiedade. Ele disse que era incrível poder sentir o prazer do presente ao andar de ônibus.
Comecei um trabalho novo em janeiro, e venho enfrentando altos e baixos por conta do isolamento da pandemia (não estar fazendo exercício vem ferrando com meu corpo). Mas sei que hoje tenho mais recursos para me cuidar. Ainda tomo remédio e faço acompanhamento psiquiátrico, e parei com a terapia pois não queria fazer online, embora eu ache que volte logo menos e faça por videochamada mesmo.
Enfim, espero ter ajudado alguém, ou ao menos estimulado a empatia, caso conheça alguém que esteja depressivo, ou com receio de começar a tomar remédios. Sempre fui muito mente aberta com muita coisa, inclusive terapia e psiquiatria. Mas ainda dava uma julgada com quem "parecia bem" e mesmo assim estava tomando remédio. Hoje vejo isso com mais empatia, pois nem todo mundo que parece bem está de fato bem. Quem sou eu para saber o que o outro sente, quando às vezes nem eu mesmo sei dizer o que sinto...
Se você tem algum amigo com depressão, ofereça seu apoio. Não julgue. Quando puder, insista na amizade. E não vomite suas próprias histórias. Não fale que "é falta de vontade", ou que é "frescura", ou que você conhece um "óleo essencial" para depressão. Às vezes a pessoa só precisa de alguém para desabafar, ou ao menos saber que você está lá para ela (como eu estive para esse meu grande amigo). Apesar de a tristeza poder ser um sintoma da depressão, depressão não é tristeza. Depressão é o oposto de vitalidade.
Por fim, deixo como dica de leitura o que acredito ser uma espécie de "guia definitivo" para a depressão (só não digo "definitivo" pois é uma área da ciência em constante evolução, e, CARAMBA, como eu sou grato por nascer nesta nossa época e não há 50 ou 100 anos, quando havia muito mais estigma e muito menos remédios...). Trata-se do livro O Demônio do Meio-dia, de Andrew Solomon. É um documento jornalístico que conta a história, em primeira pessoa, do escritor e sua luta para entender a própria depressão e a Depressão em si como doença. Nele há muito sobre questões emocionais, como os diferentes remédios funcionam, como a depressão afeta diferentes grupos de diferentes formas, etc. Foi o que me ajudou para ganhar conhecimento e lidar melhor com esse meu amigo (e, depois, lidar comigo mesmo). Esse mesmo jornalista faz um TED Talk muito bom aqui.
Obrigado a quem teve o saco de ler até aqui. Não sei se vou responder todas mensagens, mas tentarei. Se tiverem alguma dúvida, será um prazer tentar ajudar na medida do possível. Um grande abraço e tenha uma boa noite!
Edit: o remédio é Venlafaxina.
submitted by gimme-that-potato to brasil [link] [comments]


2020.07.28 16:35 OmikePepino Como fui de um Nice guy para um cara realmente legal. Kkkkkk

(para auxiliar na voz, eu sou um homem baixo de 25 anos) kk Oi, Luva, Editouros, gostosos e gostosas que estão acompanhando. Eu gostaria de contar a história de como eu fui um nice guy do qual tenho vergonha e ter sido. A história é grande mas eu juro que o "final" É a melhor parte
Em meados de julho de 2017 eu fazia uso do app do foguinho vulgo "chindler". Fazendo uso do app, eu dei match com uma garota gostosa e burra do jeito que eu gosto (é meme kk) nós conversamos pelo Tiinder e mesmo antes de nos encontrarmos eu já tive meu momento draminha em um assunto meio delicado. Eu sou tatuador, mas na época era apenas um aprendiz sem tatuagens visíveis. Certo dia falei pra ela que tinha intenção de fazer tatuagem na mão por que achava bonito (hoje tenho). Ela disse "se você fizer acho que eu não teria coragem de ficar com você". Não compreendi a motivação dela de dizer isso e disparei "Não vai ser agora que vou me privar de algo que eu gosto. Fui criado por uma família religiosa e já fui privado de uma infância e também de uma juventude saudável, não será agora que eu ou arrumar mais correntes pra me brecarem". Sinto que exagerei nesse momento, ela disse que falei de forma rude, chorou e blablabla. Eu, inocente como até hoje sou, me senti extremamente mal por tê-la magoado. Então pedi desculpa nos resolvemos, então marcamos de nos encontrarmos (no mesmo dia em que entrei para um estúdio de tattoo como aprendiz [pior coisa que fiz] kkk). O estúdio sugava minha sanidade de um lado por me fazerem de escravo, e ela do outro por achar que eu era responsável pela felicidade dela. Eu não podia dar presentes pra ela mas ela queria lanche quase sempre mas eu não recebia pra trabalhar no estúdio. Era simpesmente trabalhar e observar pra aprender algo útil. Nesse vai e volta (dependendo da reação do publico a essa história conto o quão agonizante foi pra mim esse "vai e volta" <3), quando era novembro, aniversário dela, eu queria fazer uma surpresa pra ela, peguei um trocado emprestado com meu irmão (50R$) e comprei uma caixa de doces gourmet com minha amiga e dei de presente pra ela. Ela adorou mas nessa altura nosso relacionamento já estava muito desgastado. (Foi no dia do aniversário dela também quase a matei trocando os medicamentos dela acidentalmente mas não assumo toda a culpa por isso mas é história pra outro momento). No mesmo final de semana desse ocorrido, ela quis ir só Outback, e eu, como um cavalheiro que sou, me senti na obrigação de pagar para ela. Peguei 200 reais emprestado com meu pai e a levei (foi Rolê mais humilhante do meu ponto de vista). Foi eu ela e alguns amigos. Um dos amigos dela falou que se mudaria para Portugal e pra encurtar, ela usou isso de pretexto pra dar total atenção pra ele (ficava abraçada com ele na minha frente enquanto eu estava sozinho sem ter assunto com os amigos dela) e me ignorou totalmente. Me senti deslocado e humilhado. Mas assumo total responsabilidade por não ter aceitado antes que não havia mais um relacionamento. Quando íamos embora ela anunciou que iria pra casa de um amigo dela em Suzano (amigo gente boa. Não desconfio que tenha rolado nada entre elas mas na época eu era ciumento e não compreendia) mas foi nesse momento que me caiu a ficha. Eu desisti de tentar, fui seguir minha vida, sai do estúdio pois não tinha mais sanidade pra permanecer. Fui cuidar de mim e esperar a notícia do término. Então, durante uma festa de halloween, eu fui o maquiador da turma. Enquanto eu fazia uma maquiagem que seria a campeã da competição de fantasia, veio a mensagem: "Michael. Quero terminar" Apesar de já saber disso eu fiquei quebrado, não consegui dizer nada além de "a gente pode ao menos conversar pessoalmente?" Ela disse que não queria me ver ainda. Pra eu esperar uma semana que ela viria até mim ou eu iria até lá. Eu estava muito depressivo e tenho anemia crônica. Meu peso normal é 65kg por que sou baixo. Eu estava com 53kg. Mas eu melhorei, voltei a me alimentar, treinar, fiquei saudável, até que no Réveillon eu me autosabotei da pior forma possível. Eu mandei mensagem desejando feliz ano novo pra ela (eu estava sob efeito de droga). Ela foi super gentil, me desejou de volta. Poderia nascer uma linda amizade nesse momento, mas não. Eu pedi pra voltar. Foi o último não que eu recebi antes do pior momento da minha vida. O ano de 2018 começou intenso. Me envolvi com drogas cada vez mais pesadas, cheguei até mesmo a vender. Só assim pra fingir que ela não existia. Porém, em março eu tomei um baque que foi a notícia que ela estava namorando novamente (direito total dela). Eu decidi que iria voltar a ser um bom filho/ irmão. Pagar tudo que peguei emprestado pra tentar fazer ela feliz (Nice guy falando). Arrumei um emprego, voltei pra academia, ia competir em um campeonato de fisiculturismo quando conheci a minha atual namorada. essa minha atual namorada, é a garota mais inteligente que conheço. Ela me dá orgulho por ser quem é. Minha sogra é um anjo na minha vida. Mas em dezembro de 2018 ela teve uma briga com o padrasto dela e veio morar comigo na casa da minha mãe. Ela prometeu que em janeiro ela já estaria procurando por outra casa e foi exatamente o que ela fez. Em fevereiro ela já estava se mudando para própria casa e disse pra mim: "Se você quiser continuar com sua mãe eu vou entender, mas adoraria que viesse comigo". Nesse momento eu estava desempregado pois estava novamente foco total na minha carreira de tatuagem. Por ela me dar total apoio eu aceitei ir morar com ela até por que minha mãe fazia um esforço imensurável para que eu desistisse de ser tatuador. Focado na vida de casado agora também, eu tive problemas. Não conseguia fazer tatuagens por que a senhoria da casa onde eu morava ficava plotando quem eu levava para lá. Um inferno. As coisas começaram dar errado na minha vida novamente (eu sou um cara azarado mesmo, Lubinha). No mês de maio eu perdi totalmente o tesão na vida. Pensava em suicídio e os caraio por que minha vida passou a desandar. Nem mesmo o amor incondicional que minha namorada me oferecia me confortava. Eu já tinha desistido. Meus amigos me chamavam no portão e eu ignorava. Ficava deitado fingindo que não escutava. Minha namorada comprou ingressos para uma convenção de tattoo para me animar. Funcionou muito bem. Eu voltei a desenhar, entrei numa maré de empolgação que não duraria muito. Eu tomaria outro golpe da vida. Minha máquina de tattoo queimou. Eu estava cheio de esperança no marketing digital mas nem isso deu certo pra mim. Minha namorada vinha me dizendo que estava pesado pra ela cuidar das contas sozinha mas eu não consegui fazer nada. Comecei a procurar emprego e adiar novamente meu sonho por um bom motivo. Mas foram 5 meses sem resultados. No mês de novembro nós mudamos para uma casa maior um pouco mais cara mas onde eu poderia ter a liberdade de vender minha arte. Nessa casa eu consegui trabalhar, fiz bastante trabalhos mas ainda assim tudo voltou a dar errado quando o bico que eu fazia no autódromo parou de acontecer por que estávamos em época de chuva. Eu ganhava menos com tattoo no início da carreira do que como controlador de acesso nesse bico. Eu só me fodo. Kkkkk Minha atual disse que queria um tempo pra ela poder organizar a vida dela. Ela basicamente havia desistido de mim, mas também, quem confiaria em mim se nem eu mesmo acreditava mais??? Se eu não arrumasse um emprego não daria mais. Veja bem como a vida é justa. Nesse momento eu arrumei 2 empregos e o dono do estúdio que eu contatei na convenção me chamou para trabalhar com ele. Kkk vida injusta. Eu estava numa sinuca. Meu sonho e meu amor estavam na mesma mesa cada um rolando pra um lado e eu teria que escolher qual eu salvaria de cair. Depois de muito pesar eu decidi seguir meu sonho. Julguem-me. Minha namorada falava palavras duras pra mim, dizendo que estava exausta, que não daria mais. Chegou a dizer que não me amava mais. Eu insisti por 2 semanas mas decidi dar total liberdade pra ela escolher o que queria: "Você escolhe se quer ficar ou se quer ir. Saiba que eu te amo e vou adorar se ficar, mas se for eu vou ficar bem. Não se preocupe" Ela decidiu ficar. Tudo começou dar certo. Era fevereiro e eu pagava o aluguel e sobrava um bom dinheiro pra gente sair final de semana. Aí um chinês resolveu comer um morcego e todos os estúdios/comércios tiveram que fechar. Desandando novamente. Hoje estou tentando retomar minha clientela que se dissipou demais nesse momento, mas ainda não tenho conseguido produzir nem ao menos o necessário para pagar meu aluguel...
A vida vai continuar me dando essas rasteiras. Mas eu vou levantar sempre, de novo e de novo. Se não tá bom eu vou fazer ficar. Agora eu estou total focado em ficar cada vez melhor no meu trampo pra poder ganhar uns troféus e pra dar a vida que essa minha atual merece. Não sei se falei. Minha atual e minha ex se tornaram muito amigas. Somos isentos de ciúme (acho que é o mínimo necessário pra namorar um tatuador) kkkkk
Desculpa pelo histórião Luvinha. Mas eu tenho uma história dessa tanto pros relacionamentos quanto pra vida profissional quanto pra familiar. Kkkkk
Luba. Caso leia. Sugira pro YouTube colocar um botão pra curtir quando em tela cheia. É muito chato ter que minimizar o vídeo pra dar like. Kk
Plot twist. Acabei de terminar com a minha atual ex.
Amo vocês galera. Agora é eu por mim <3
submitted by OmikePepino to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.22 07:33 thowaway995 É transfobia não querer namorar mulheres trans?

Eu totalmente reconheço o sentimento de não pertencer ao seu gênero biológico como algo real, e respeito a vontade da pessoa em mudar isso, porém, eu, como homem, sou transfobico por não querer namorar mulheres trans? E se fosse ao contrário, e se eu fosse uma mulher porém não me sentisse confortável namorando homens trans, seria transfobia também? Por favor pensem não só no meu caso como um homem pois tenho certeza que muitas pessoas, homens e mulheres, se sentem assim também. Repito, eu reconheço transsexuais como o gênero que eles preferem, estou me referindo apenas no quesito se relacionamento/sexo, no caso de não me sentir confortável durante as relações sexuais.
submitted by thowaway995 to PergunteReddit [link] [comments]


2020.06.24 03:27 itsjessigb Sobre como meu ex me perseguiu 3 meses após o término e eu quase levei uma guarda chuvada dele

Olá Lubinha, turma, editores, possíveis convidados etc. Essa história aconteceu quando eu tinha uns 16 anos, eu estava namorando a quase 1 ano e meu relacionamento tinha diversos problemas. Viagei com meu ex q vamos chamar de farls por 2 semanas inteiras pra casa dos familiares dele que ficava a 6 horas de distância da minha cidade. Como pode imaginar foi um inferno, ele só ficava jogando lol o tempo todo e eu me senti muito sozinha sem conhecer mais ninguém ali. Então no mesmo dia q voltamos pra nossa cidade, eu falei q ia sair com umas amigas antes das férias acabarem, já que eu não via elas a muito tempo ( ps meu ex odiava e me fez afastar de todas minhas amigas e amigos). Eu saí com elas fomos a um festival na praça principal da cidade pq eu gostava das bandas, no meio do festival avisto o farls procurando por mim, eu fiquei nervosa pois queria um diazinho só pra mim e dei um "perdido" nele, fui pra uma pizzaria com minhas amigas. Na volta ele me viu sem batom e disse q eu tinha traído ele ( o batom saiu comendo a pizza) eu tava de saco cheio e msm expliquei a situação só saí de lá, fui beber com minhas amigas na rua mesmo (coisa de adolescente né) eu bebendo comecei a chorar e percebi o quanto eu tava infeliz e o quanto tava sufocada e que já não gostava dele mais, terminei na mesma noite. Aí que começa a saga, farls não aceitou bem o término, eu falei pra ele que talvez poderíamos dar uma chance (não queria jogar o relacionamento todo no lixo mesmo eu já sabendo q n gostava dele ) mas pedi uma semana sem ele pra eu poder estudar pra uma prova de bolsas importante. No primeiro dia ok, no segundo eu n respondi ele pq estava estudando, ele começou a me ligar, eu desliguei o celular, ele apareceu na minha casa e foi assim o resto da semana. No dia da prova eu tinha marcado de sair com uns amigos após a prova, mas começou a chover e cancelamos, quando eu saiu da prova, farls está a me esperar, ele me segurou no braço um pouco forte e começou a falar pra eu assumir q n gostava mais dele e etc, Aí eu disse pra ele me largar, q eu n tava gostando mais. Então uma amiga que também estava fazendo a prova viu a situação e me tirou de lá, nos começamos a descer pra casa, ele nos alcançou e disse "vou te reconquistar nem que seja a última coisa q eu faça" E saiu andando. Chegando na praça principal vi ele lá sentado, eram umas 20 horas, eu fui la falar com ele, disse pra ele seguir em frente, pq eu tinha feito minha escolha, que não era saudável ficar assim. Ele surtou, tacou aliança longe e pegou uma daquelas sombrinhas grandes da unimed e tacou com toda força do meu lado, eu assustei e sai correndo, bloqueiei ele de tudo, achei q tinha acabado. Ah como eu era tola, a gente estudava na mesma escola, ele começou a me mandar cartinhas no intervalo, a me seguir na volta de casa. Essa parte dele me seguir me dava medo, pois nossas casas eram no mesmo caminho, mas um amigo que vamos chamar de carls começou a me acompanhar em casa todos os dias (mesmo sendo muito longe da dele) pra me deixar mais segura. E então teve uma festa, eu fui, isso foi umas 3 semanas após o término, e eu beijei uma menina pela primeira vez. Não sei como mas meu ex soube e mandou pra minha mãe no Facebook falando q eu estava fazendo " coisa errada tipo beijar menina" dps q terminei com ele, sim ele me forçou pra fora do armário pra minha mãe quando nem eu entendia q era bi ainda. Minha mãe ficou possessa cmg pois elaé muito conservadora. Na escola eu estava chorando horrores, quando minha amiga não aguentou isso mais e achou ele no intervalo e literalmente DEU UMA VOADORA nele, ele caiu nos bebedouros, após isso ele mudou de escola. Mas mesmo mudando de escola ele ainda me ligava 3 horas da manhã de vários números já q eu tinha o dele bloqueado, ia na minha casa etc, parecia q nunca ia acabar esse rolê todo. Depois de 1 mês e meio, comecei a ficar com o carls pq eu tava super apaixonadinha por ele (na verdade acho q me apaixonei enquanto namorava o farls, e escondi esse sentimento durante uns 5 meses e não fiz nada ) e o farls viu eu e o carls nos beijando, e foi no serviço do meu pai contar q eu estava ficando com outro KKKKKK meu pai disse pra ele superar e me deixar em paz. Depois disso tudo, a mãe dele veio brigar comigo dizendo que eu n podia sair por aí espalhando que ele tinha me tacado um guarda chuva pq ele podia ser preso por ser maior de idade, eu disse pra ela q ele fez isso, e eu não espalhei, minhas amigas viram a cena, disse pra ela q n ia prestar queixa e pra eles me deixarem em paz. No final farls foi na minha casa pedir de volta o presente de aniversário que ele me deu, e eu surtei pq tava saturada de tudo, briguei horrores com ele, taquei o presente ( que era um copo de acrílico do homem de ferro) nele, e também taquei uma cadeira perto dele pra ele sair do meu quarto, Aí eu expulsei ele da minha casa. Conclusão, mudei de casa e de número, e hoje em dia eu soube q ele fala pra geral q eu sou uma p*ta que terminou com ele atoa, quebrou o coração dele e traiu ele. É isto, hoje em dia eu dou muito risada dessa história desculpa ser tão longa, e eu ainda resumo muita coisa KKKKKKK Sim é minha primeira vez aqui
submitted by itsjessigb to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 04:14 Due_Hair3436 O ATO DE 3

Olá pessoas e Luba e editor, o resto também... hoje quero contar: "O ato de 3" bem, já deve ter ouvido falar de triângulo amoroso, sempre quis usar isso, então aqui jás a história.
A história começa em 2018 com eu e um primo (não se preocupe ele logo será descartado na história) Bem, ele queria fazer um guisado, com o muido do guisado eu conheci uma garota, vamosa chamala de Talis, a Talis era legal, na realidade a primeira garota que me deu bola (não literalmente). Após conversar um tempo com a Talis, nos acabamos ficando e depois namorando, mas Talis assim como eu, também estava se descobrido, então após 4 meses terminamos passificamente. Após isso começa a epopéia de causos e relacionamentos estranhos que Talis começa a entrar, ela foi atrás da: Lalis, Fipis, Tazis, Danis, Nikis, outro Fipis... Eu era como um mercenário no meio de tudo isso, nos intervalos de tempo entre uma pessoa e outra, ela vinha atrás de mim, e cê sabe como é alguém perdido por outro alguém... isso mesmo, um idiota, mas bem, as vezes eu tinha de literalmente perguntar com quem ela tava ficando pra conversar com ela direito (muitas pessoas da lista são meus amigos) até que chegou um dia que eu comecei a namorar outra guiaria, camala de Conan, quando eu namorava conan ela se afastou, esse também não durou, e uma das primeiras coisas que ela fez quando soube da notícia do meu termino com Conan foi, claro, vir atrás de mim. Em um momento de vulnerabilidade emocional eu aceitei, e ficamos aquela noite, eu só não esperava que a Talis estivesse namorando Yulis, um dos meus melhores amigos! Aí eu fiquei com Talis, sem saber que ela tava namorando com Yulis, estou no impasse de contar ou não a Yulis sobre isso, porque com Yulis ela demorou. Não me sinto muito babaca, mas também sinto que poderia ter me informado melhor antes de por minha língua na boca dela. Esse pobre homem é babaca ou não? (Isso foi pra ver o Luba mudar de voz, funcionou?) (Não mostra a minha conta please)
submitted by Due_Hair3436 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 02:10 nonchu_ni Fui a babaca por falar do namoro escondido da minha irmã para a minha mãe?

Olá lupinha, gatass, editores, papelões vivos e mortos e turma que estar a ver.
Hoje vim contar uma história que ocorreu no ano passado aqui em casa, porém, mesmo que tudo já esteja resolvido, eu queria opiniões de outras pessoas. Vou chamar minha irmã de Varls e o namorado dela de Brals (?). Bem, tudo começou no meio de 2018, eu estava no segundo ano do ensino médio e estudava de manhã. Quando eu chegava em casa, depois da escola, tinha um homem, que eu não conhecia, no quarto da minha irmã. Eu não sabia que eles eram namorados, pois eu pensava que era amigo dela. Depois de um tempo eu descobri o seu nome, e com ajuda da minha outra irmã eu descobri que na verdade ele era marido de uma amiga da Varls. Fiquei confusa, já que o filho do Brals era afilhado da minha irmã Varls, então ela estava namorando o pai no afilhado dela. Fiquei quieta no começo, mas depois de um tempo começou a me irritar. Eu e Varls não somos muito próximas, por mais que a gente morasse na mesma casa, ela tinha feito muitas coisas comigo, e por causa dessas coisas que não consigo mais considerar ela como minha irmã. Eu contei pra minha mãe sobre as idas de Brals lá em casa e minha mãe ficou com raiva, já que Varls nunca contou pra ela que estava namorando. Um dia minha mãe pegou Brals com a Varls lá em casa de manhã, minha mãe ficou furiosa e expulsou ele de casa, disse que não queria ver ele e que ele não deveria voltar mais aqui em casa. Porém, Varls é rebelde, e enquanto minha mãe trabalhava Barls ia lá em casa escondido. Então contei pra minha mãe de novo. Um dia minha mãe esperou Varls voltar do trabalho e elas começaram a brigar. Varls lançou muitos comentários maldosos sobre mim, dizendo que eu só estragava a vida dela, entre outros. Uma coisa normal até, minha vida toda foi ouvindo comentários horríveis da Varls sobre mim, e por isso minha auto-estima não é uma das melhores hoje. Minha mãe até tentou expulsar Varls de casa, porém meu pai não deixava. Hoje Varls mora em outra casa com Barls e nosso relacionamento entre irmãs é um dos piores que já vi. Mas a minha pergunta é, fui a babaca por contar pra minha mãe sobre Barls e "estragar" a vida de Varls?
Desculpa o texto longuíssimo Beijos <=3
submitted by nonchu_ni to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.11 14:15 icecream2x Tapa na cara com frase de efeito

Oi luba, editores, gatas (sem psih psih pq tenho medo, desculpa) e turma
Então minha história começou um pouco antes das férias do final de ano de 2016, eu fazia faculdade em outra cidade, então todas as férias eu voltava para a casa dos meus país, acontece que eu tinha começado a ficar com uma menina (Carls) um mês antes das férias, eu gostava bastante dela, mesmo não namorando oficialmente a gente não ficava com outras pessoas, ela era super de boa, eu tinha muitas amigas na época e ela nunca tinha demonstrado ciúmes. Até que ela veio me visitar durante as ferias, tudo estava indo bem até que no dia que ela iria embora eu recebi uma mensagem da minha ex (quando a gente namorava eu era muito apegado a irmã mais nova dela de 7anos, e bem raramente ia brincar com ela e tinha avisado a Carls sobre isso, minha ex estava namorando e com uma filha do cara), eu nem abri a mensagem pq queria ficar com ela, mas ela viu a notificação, depois disso ela ficou muito estranha e pior que quando eu perguntava ela dizia que não tinha nada. Durante umas duas semanas todo dia ala brigava, por motivo de que eu não ficava o dia todo no wpp e respondia pouco ela, sendo que sempre fui assim e ela sempre foi super de boa, até q a gente conversou por skype e ela finalmente me falou que era por causa da mensagem, e mesmo que ela sabendo que era só sobre minha cunhada ficou chateada por eu não contar (eu acabei não indo lá), eu pedi desculpa disse que não foi minha intenção esconder, mas que não ia mais rolar, Acham que isso resolveu algo???? É não, tudo contínuou na mesma e todas as brigas estavam fazendo toda aquela vontade de conversar ir diminuindo até chegar ao ponto que ela me chamar me desanimava, pq sabia que logo aquilo iria virar uma briga, eu realmente gostava dela e meio que entendia a insegurança dela, já que estávamos muito distantes e ela ter passado por um relacionamento meio merda antes, então decidi pedir ela em namoro por mensagem mesmo, já que faltavam quase dois meses para as aulas voltassem ainda, eu pensava que ia ser bom ela poder conta com esse compromisso, mas só durou dois dias e tudo voltou, segurei a barra por uns dias mas não aguentava mais, eu queria ficar com ela mas parecia que tudo que eu sentia estava desaparecendo. Foi ai que eu decidi pedir um tempo disse que eu não iria ficar com ngm e que só precisava respirar mesmo, eu queria muito tentar conversar quando as aulas voltassem e resolver as coisas estando na mesma cidade, mas foi ai que ela virou uma nice girl, ela direto me mandava mensagem dizendo que eu não amava nem a mim, que eu jamais seria feliz porque eu afastava todos, e mais um monte de coisas. Até que a gente voltou para a faculdade, no primeiro dia já nos encontramos e conversamos, eu expliquei pra ela minha intenção com o pedido de tempo e que realmente queria tentar algo quando eu pedi, mas como ela não havia respeitado mas sim aumentado o problema eu não tinha condições de tentar algo, não seria algo sincero. Com ela próxima o problema só aumentou, ela me caçava nos roles para tentar voltar, inventava mil desculpas para ir na minha casa, chegava bêbada de role, fazia um joguinho de tal pessoa queria ficar cmg mas não sabia oq fazer e depois começava a me atacar chorando, mandava nude do nada, alguma dessas vezes a gente acabou tendo uns 3 remembers, mas eu sempre deixava claro que no momento eu não conseguia ter algo sério. Até que chegou o dia do tapa, eu e o cara q morava CMG fomos em um role só pq a NET tinha caido em casa, fazia quase um mês do ultimo remember, chegamos meio tarde pq de primeira não iriamos, e já tava todo mundo muito louco, a menina q ficava com esse meu amigo estava passando muito mal, então logo que chegamos já ficamos ajudando ela e nem bebemos nem nada. Até que a Carls alcoolizada virada no demônio me vê na festa, a partir desse momento eu não tive mais nenhum minuto de sossego, ela ficava tentando me beijar, quando estava sentado ela sentava no meu colo e fechava meu braço pra abraçar ela, até ai suave, mas ela começou a "cuidar" da menina, ela balançava a cabeça da menina, ficava enfiando o dedo na goela dela e sempre q a gente tentava fazer alguma coisa ela só gritava -cala a boca você não cuida nem de você e coisas do tipo, então pedi para Carls ir buscar uma agua para a menina, ela foi e voltou chorando. Na hora perguntei oq tinha acontecido, ela falou que um cara a puxou pelo braço, encoxou e passou a mao na bunda dela, na hora eu fiquei perguntando quem tinha sido e ela dizia que não iria dizer, pq eu iria arrumar confusão (ela tava certissima), mas depois de um tempo insistindo prometi q não iria fazer barraco e só iria falar com o pessoal da atlética, nessa hora o papo mudou de não vou falar para não vi, tipo eu não queria duvidar disso, mas depois de tudo q passei com ela acho q ela inventou essa história, então eu só conversei com ela dizendo que o cara era babaca, mas ela podia tentar não dar mais poder para ele e tentar seguir com o role,mas ela não parava de falar nisso o tempo todo, mas oq eu poderia fazer alem de tentar apoiar??? Até que fui levar a menina no banheiro para tentar sair um pouco de perto, já que ela continuava tentando me beijar meio que a força. A Carls foi atrás depois de alguns segundos e entrou no banheiro com a menina, nisso esperei em um banquinho, até que ela sai correndo do banheiro e esse foi o dialogo
Eu - Esta tudo bem? Aconteceu algo com a Ana(nome fictício para a menina que tava passando mal) Carls - Ela esta bem, mas que showzinho é esse que vc estava dando lá fora?? Eu - Que show, você ta tentando ficar comigo a força, me agarrando parecendo que quer marcar território e eu que to fazendo show Carls - Hey me fala agora o que você quer comigo Eu - Carls a gente já conversou varias vezes eu não quero nada Carlos - Tu é homem para me comer mas não é homem para me defender, enquanto me dava o maior talão na cara Nesse momento eu já levantei e disse que aquele dia não iria mais falar com ela, mas ela me segurou pelos bracos chegou até a tirar sangue com as unhas, até q a Ana chegou nos abraçando e eu consegui fugir, depois disso ela continuou mandando nude do nd no snap e MSG toxica no wpp, depois ela jogou um copo de corrote em mim enquanto eu passava também
Desculpa a historia longa, mas é que as vezes eu acho que fui babaca por pedir ela em namoro e pelos remembers, as vezes acho que eu só acabei fazendo o que eu podia para tentar manter um relacionamento abusivo mas deu errado, bom me ajudem a entender, se ler isso brigado por todo entretenimento luba
PS: Meus amigos que sabem dizem que ela foi muito louca e que não fui, mas eles são meus amigos né...
View Poll
submitted by icecream2x to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.11 06:45 ec_newt Fui a babaca?

Olá turma, editores e possível convidado.. era meados de 2015 , eu tinha um namorado, vamos chama ele de 'Karen', nós iríamos fazer 2 anos de relacionamento naquele ano, então poucas semanas antes do nosso aniversário, ele foi ficando estranho comigo, pensei que tinha algo de errado, porquê eu estava dando muita atenção a faculdade e não à ele, então fui começando a preparar uma surpresa pra ele, pra nos aproximarmos de novo e tudo ficar bem,(pults, esqueci de falar oi pro luba, tô falando agora)..... então, preparei uma surpresa pra ele com alimentos que ele gostava e tudo mais, daí eu paguei umas decorações românticas e isso tudo... Quando finalmente chegou o dia anterior, que seria o dia em que eu arrumaria tudo, de algum jeito ele descobriu e me ligou com muita raiva e me disse que não queria aquela surpresa e me xingou muito, e eu nem sabia o porquê daquela raiva toda, fiquei triste pois tinha planejado uma noite realmente especial para nós dois.. uns 2 dias depois já não conversamos muito, e ele fez questão de ser "homem" e mandar uma mensagem terminando comigo, sem dizer absolutamente nada do porquê dele estar terminando, ( infelizmente não tenho mais os prints, mas ele me xingou muito), não sabia o que fazer e nem o porquê daquele término gratuito ... tentei perguntar aos pais dele e descobrir o porquê daquele ódio todo por mim, mas nem eles sabiam.. um tempo depois descobri que quando ele começou um relacionamento comigo, ao mesmo tempo, ele estava namorando outra menina, ela não sabia de nada entre nós dois... um amigo dele e meu, que me consolou durante meu sofrimento pós-término, me disse que ele estava com medo dela descobrir a nossa relação, ( se é que tinhamos algo para 'Karen' ), ele não sabia dessa história toda e me garantiu que se soubesse já teria me contado, e só ficou sabendo disso porque ao questionar 'Karen' do motivo, ele disse isso.. Não sei até hoje como ele escondeu isso de mim e dela, nós fazíamos vários post de fotos juntos em redes sociais e tals...Enfim, eu descobri quem era a menina e revelei tudo sobre nós dois, porque eu não queria que ela sofresse com um cara como esse, ela obviamente terminou com o menino e hoje nós somos muito amigas, (ainda bem, porque eu pensei que ela iria querer me eliminar do mundo por achar que eu estava mentindo; essas coisas não acontecem todo dia), e para seus pais já que esses eram bastante conservadores, como ele ainda morava com os pais, foi punido....Enfim, o cara estava super feliz com o "novo" relacionamento dele e eu fiz questão de fazer ele sentir a "felicidade" toda que eu mesma senti quando soube...
submitted by ec_newt to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 20:39 gabrielathaysmyname SOU BABACA POR EXPULSAR DA MINHA CASA A NAMORADA MACHISTA DO MEU AMIGO ?

Oi Luba, oi turma, oi gatinhas. Em 2017, eu estava no último ano do ensino médio namorando naquela época com meu atual namorado, estávamos com 2 anos e pouco de namoro. Eis que um garoto novo entra na escola, o nome dele é L. L era um cara muito bacana e diferente dos outros caras, ele era mais tranquilo e reservado, meu namorado e ele, ficaram muito amigos, consequentemente, eu e L também ficamos amigos, e pelo resto do ano formamos uma turma na escola e ficamos juntos. Por mais que L fosse um cara legal, tinha umas amigas um tanto quanto duvidosas, uma delas em específico já tinha tido uma tretinha comigo, mas nada relevante, basicamente ela me respondeu de uma maneira grossa sem nem me conhecer, e eu uma pessoa nem um pouco temperamental, fiquei com rancor. Eis que no meu aniversário de 17 anos, L me chama pra conversar e joga uma notícia bombástica, L disse que estava namorando com uma de suas amigas, chamaremos ela de K. K era a mesma menina que foi grossa comigo sem nem me conhecer. A princípio perguntei se L tinha coco na cabeça, mas ele me afirmou que ela era uma pessoa gente boa e foi só um “deslize”, por fim perguntou se podia trazê-la ao meu aniversário, e eu sempre bem trouxa, deixei. Aconteceu que a menina realmente era legal, e foi só o jeito dela de se expressar que pegou mal, desde então, somos os 4 muito amigos. Hoje em 2020, moro com meu namorado e estamos pra completar 5 anos juntos. L ainda morava com os pais, e a convivência começou a causar muita treta entre L e seus pais. Então perguntei se L não gostaria de morar comigo e com meu namorado até arrumar um apartamento, então L gostou da ideia de veio morar conosco. K, a namorada de L, ainda estão juntos e completando 3 anos. Porém K já não é mais a mesma que se demonstrou ser, hoje ela é uma pessoa extremamente possessiva e dramática com L, do tipo que exclui meninas do Instagram dele porque na explicação dela “são mais bonitas que eu” e não deixa ele falar de nenhuma menina, mesmo que seja algo do tipo a história de uma menina que foi assediada no ônibus e ele apertou as bolas do garoto e expulsou ele do ônibus, a primeira coisa que K perguntou pra L foi “você estava falando com uma menina ?”, mas apesar de tudo, como é o relacionamento dos dois, eu e meu namorado não nos metemos. Só que quando L veio pra cá, K passou a vir pra cá quase todos os dias. Eles brigavam diariamente e ela nos irritava também diariamente, principalmente porque ela é o tipo de pessoa que não te deixa falar, quer se achar melhor que você, ou mais sofrida que você, e a dona da razão claro, fora a questão do título dessa história, que é o fato de K ser bem sexista explicando que o comportamento dela se deve a ser uma menina. (???) Porém, nos últimos dias, K começou a vir pra cá de cara muito fechada e cabeça baixa. Eis que meu namorado me chama pra conversar e me explica o porque dela estar assim. L disse pra meu namorado que K me viu sair do meu banheiro de toalha e achou isso desrespeitoso com o namorado dela, L. Não da nem pra explicar o ódio que eu senti, basicamente K estava dizendo que eu era uma safada por estar saindo de toalha na minha casa, que meu namorado era um corno manso que deixava a namorada fazer esse ultraje, enquanto o namorado dela era um homem com desejos incontroláveis. (Só pra deixar claro, L é uma pessoa muuuuito boa, que jamais pensou isso de mim, K que imagina essas coisas). Fiquei com tanta raiva que chamei L para conversar e disse que não queria que K voltasse a minha casa, até expliquei que se em algum dia ela quisesse ver ele, avisasse pra eu sair e dar uma volta, mas nunca mais gostaria de ter contato com alguém que pensa assim. L ficou muito triste, mas entendeu e foi falar com K. Ela chorou e disse que acharia que eu entenderia, pois é algo de “empatia” não sair de toalha do banheiro com o namorado dela perto. Sou a babaca por expulsar ela da minha casa ?
submitted by gabrielathaysmyname to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 03:41 felipeSousa100 As primas

Olá Luba, editores, possível convidado e gatas maravilhosas!!! Título: as primas Eu estava conhecendo uma moça, a gente se gostava, os pais dela me adoravam enfim, estávamos quase namorando! Porém o pai dela não queria naquele momento q a filha tivesse um relacionamento, então ficamos na amizade, porém se gostando! E em dezembro ela falou q 2 primas dela ia passar alguns dias na casa dela, ATE AI, BLZZZZ! Quando elas chegaram, minha "futura sogra" chamou nossos amigos para conhecer essas primas, nem sabia ela q ia ser o próprio inferno ksksks Quando cheguei na casa da minha crush, falei oi para as primas, fui o mais simpático possível, para causar uma boa impressão e consegui! Obs: as primas eram muitoooooooooo bonitas! E ficamos la, tocando " maioria dos nossos amigos são músicos, eu e minha crush tbm" Até q percebi um olhares profundos daquelas primas para mim.... Porém nem liguei! Depois sentamos juntos e conversamos um pouco e assim foi o dia, passei o meu número para elas, mas por educação! E ficamos algumas noites se falando, porém eu sempre falando de como eu gostava da minha crush " a prima delas " até q um momento elas comentaram q minha " futura sogra" falou muito de mim na viagem até minha cidade " q eu era bonito, charmoso, homem de respeito e etc " Passando alguns dias percebi q minha crush estava meio seca e fui ver oq estava acontecendo e descobri q AS PRIMAS DELA ESTAVAM APAIXONADAS POR MIM! Falei q não ia rolar nada e q eu era apaixonado e queria apenas ela... E encerramos o assunto. Até q as primas começaram a dar em cima de mim na frente de todos, assim irritando mais a minha crush Quando cheguei em casa mandei mensagem para as primas e falei q eu realmente não estava afim delas. Não sei como, elas conseguiram colocar minha crush contra mim, falando q eu estava afim delas e tivemos uma briga feia pq ela não acredita em mim. No outro dia fomos para a casa do Pastor e minha crush nem oi falou, fingiu q eu nem existia, fiquei muito triste e meio afastados de nossos amigos, foi quando fui para a rede ficar sozinho... até q uma das primas veio e sentou na rede junto comigo e percebi q não era com outras intenções... Então fiquei falando com ela normalmente! Então meus amigos, minha crush e o resto do pessoal estavam na escada perto da rede conversando. Fiquei conversando com elas por muito tempo, contando sobre a vida, rindo adoidado e com brincadeiras de mão pois ela queria me fazer ficar melhor e assim balançando a rede! Quando acabou a noite e cheguei em casa foi aonde o inferno começou ! Minha crush veio com uma puta mensagem falando o quanto eu era babaca e perguntei o pq... E ela disse q eu era babaca por ter pegado a prima dela ...Pois pelo o ângulo q eles estavam, parecia q eu e a prima estávamos em um maior amasso ! Falei q ela era louca e disse q não aconteceu nada e só falei q fiquei conversando com a prima pq ela tinha me dado um gelo, foi quando eu soube q todos acharam q eu tinha dado uns pegas na prima. Minha futura sogra deu um maior lição de moral em mim e nem tinha acontecido nada, mas não podia provar e para piorar a prima falou q a gente tinha ficado! Enfim eu e minha crush paramos de se falar e depois disso as primas nunca mais voltaram para a cidade! Quem foi o babaca? Se quiserem a parte 2 ... Falem! Q ficarei feliz de contar 😄😄😄 Bjsss ❤️
submitted by felipeSousa100 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.04 21:31 lysguil Preciso de conselhos e analisem a situação pra mim por favor

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda. Eu estou abrindo minha alma e coração nesse texto, direi toda a verdade
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to desabafos [link] [comments]


2020.06.04 19:02 lysguil Preciso de um conselho ou dois

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda.
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to brasilivre [link] [comments]


2020.05.17 03:27 LizianeS2 aprender novamente...

hoje eu vi algo que eu apenas pensava que era coisa da minha cabeça. estou namorando a 4 anos e em 2 desses 4 anos eu e o meu namorado moramos juntos, somos apesar dos conflitos do dia a dia felizes juntos só que por me relacionar com 1 único homem desde os meus 14 anos eu tinha muito aprender, pois pelo meu namorado ser 6 anos mais velho que eu, eu o via como pessoa muito legl porem ele acabou me fazendo me afastar de todos os meus amigos inclusive mulheres, no começo achava tudo isso normal por isso nunca fiz nada para impedir isso. um erro meu é claro porem era jovem e eu realmente pensava que para ter um relacionamento feliz tinha que abrir mão de minhas amizades. Hoje vejo que isso é uma grande bobagem, que para ter um relacionamento feliz ele tem que ser saudavel. porem para que eu tenha chegado nesse tipo de pensamento tive que passar por um grande processo em minha vida. DEPRESSÃO, na época eu não via isso como depressão ate pq eu me via como uma pessoa que apenas estava com pequenos problemas na minha vida, não que eu nao acredite que depressão é uma doença seria, muito pelo contrario, porem eu nunca conseguia me ver como uma pessoa que tinha depressão, eu sempre via a depressão em outra pessoa menos em mim porem ela me prejudicou bastante abandonei a escola e cheguei ao ponto de simplesmente acorda e ficar olhando para o teto ate o sono chegar novamente. consegue acreditar que eu fiquei ate 15 dias sem tomar banho?! pois é, eu não consigo me imaginar assim porem aconteceu e eu só conseguir me "livrar" pois tive um pensamento que por mais estranho que foi, me ajudou a sair da depressão, eu pensei, " é liziane, vc quer morrer mas nem se matar vc consegue, é inutil até para isso então oque resta é voce torcer para que alguem te atropele ou te de um tiro, e para que isso aconteça vc tem que sair desta cama, é bom e aproveita e tenta nao ser um estorvo para ninguem, ninguem aguenta mais vc, entao fassa as coisas que vc tem que fazer." (ser dona de casa) e por mais triste que isso possa ser eu decidi que iria fingir assim todos parariam de pergunta qual era o problema, coisa que eu não sabia responder. e de tanto fingir hoje eu sou feliz de vdd, hj eu realmente me amo e não existe pessoa mais incrivel que eu tomei as rédias de minha vida, conversei com meu namorado e hoje ele vê o quanto errou comigo e por mais dificil de acreditar, ele mudou completamente, claro que não foi de um dia para o outro porem foi algo que foi trabalhado aos poucos, do homen machista, álcoolatra e traidor, ele se tornou um homem que não bebe mais álcool, bom pelo menos não como antes, e se tornou amoroso e dividimos tudo por igual nas tarefas de casa e fora dela tbm. meu único problema agora é aprender a me socializar novamente com as pessoas, esse dom eu perdi totalmente e por mais feliz que eu estou e por mais idiota que possa pareçer a unica coisa que sinto que falta em minha vida é uma amiga para quem eu ainda possa falar mal do marido (maus de casado) sinto que os amigos do meu marido são apenas amigos dele, claro que nos respeitamos e temos assuntos em comum mais eu gostaria muito de poder dizer que eu tenho uma amiga que cv comigo por gostar de minha pessoa, e não amigos que apenas sao meus amigos pq meu namorado é amigo deles.

desculpem os erros ortográficos. e desculpa por ser muito longo tenho o mal de querer sempre colocar contexto nas coisas. obg por ler até aqui.
submitted by LizianeS2 to desabafos [link] [comments]


2020.04.28 07:23 hesnlt Pedido de ajuda.

Eu e meu noivo estamos juntos há quase dois anos... Nesse meio tempo já brigamos muito, principalmente por ciúmes da minha parte, não que ele seja do tipo "galinha" ou algo parecido, o problema é com a minha autoestima, me sinto muito inferior a ele visualmente falando, mesmo que ele diga que sou linda... Mas o problema passou a não ser mais esse. Nós moramos juntos agora, e notei que depois disso ele se distanciou um pouco, se tornou apático. Antes nós costumávamos ter uma certa frequência no sexo, hoje passamos dias e mais dias sem sequer nos tocar, antes quando éramos simples namorados vivíamos tendo momentos mais... Quentes, nós beijamos quase o tempo todo, mas hoje, tenho que pedir, e ele vem e me dá um selinho, não nos beijamos mais a não ser que estejamos transando. Eu o amo muito e sinto uma dor absurda com esse novo eu dele. Ele diz que me ama e em alguns momentos sinto isso, mas a falta de afeto e carinho estão me machucando bastante. Nós temos entre 20-30 anos, ainda somos jovens, o maior interesse dele são jogos no computador enquanto eu fico apenas existindo deitada na cama... Não sei o que fazer, sempre que penso em pôr um fim no relacionamento sinto uma dor imensurável, não consigo me imaginar sem ele, sempre que tento pensar em um futuro sem ele e talvez até namorando outra pessoa me sinto estranha, incompleta, vivendo uma farsa. Já sonhei várias vezes que nós tínhamos terminado e eu estava com outro homem, mas sempre buscando ele, ou terminando com o meu atual alegando ainda amar meu ex. Daqui a alguns dias estarei me mudando para outro estado, ficaremos distantes por meses e isso está me fazendo pensar em como eu ficarei com essa distância, mas por outro lado penso que já estamos distantes mesmo habitando o mesmo espaço
submitted by hesnlt to desabafos [link] [comments]


2020.03.22 19:05 Oi1235 A atual (noiva) do meu ex veio brigar comigo

Eu mandei mensagem pro meu ex xingando ele pq descobri tudo (que me traiu e começou a namorar com ela quando ainda está namorando comigo). Ele não foi homem de me responder e mandou ela fazer isso no lugar. E já estão noivos (noivaram em 1 mês).
Ela ficou falando de um monte de coisa da minha vida, várias coisas que ele contou pra ela que é mentira. Falou que inventei o caso de racismo da minha ex-sogra (o que eu ganharia com isso?), me chamou de interesseira (quem é Maria Batalhão é ela). Em momento nenhum negou que foi amante dele, e jogou toda a culpa da traição dele em mim. E me chamou de atoa sustentada pelos pais pq eu faço curso integral na federal e ainda estudo pra passar no vestibular de medicina.E ela é bolsominion (dá pra ver o caráter).
Além disso veio me ameaçar, falando que se eu mandasse mensagem pra ele, ela ia me bater. Eu ri e falei: "Vem então". Eu já tô brava e ela vem pagar de gostosa me provocando, vai apanhar. Essa galera que paga de moralista são os piores, essa moça acha bonito ser amante, roubar namorado das outras (eu sei que meu ex não vale nada) e me culpar. Falei pra ela que ela não tem capacidade de arrumar homem solteiro e que não sabe nem escrever. E que ela não passa de uma puta de 5a (ela veio me xingando, xinguei de volta). E que ela pode ficar com esse traste, vai levar chifre dele no lugar que eu tava mesmo.
Edit: ele se acha pq tem um carro, ela falou que pegou ele mesmo pq eu não cuidei direito (eu lá sou babá de homem ? Fui visitar a minha família). A desculpa dele de falta de tempo (pra trabalho, curso técnico e relacionamento é mentira), pq além de noivos tão morando juntos (ela que me falou), e ela arregou de brigar.
submitted by Oi1235 to desabafos [link] [comments]


2020.03.13 11:32 corounavairus História de um fim de namoro

Olá pessoas, é o seguinte:
Comecei a namorar muito cedo, com meus 14 anos, e esse relacionamento se estendeu até os meus 21 anos. Passei essa fase de descoberta e amadurecimento todo ao lado dessa pessoa em específico, tivemos nossos bons momentos mas também foi um relacionamento muito abusivo. Ela era muito insegura e projetava as inseguranças em mim, me privava de ter amigos, e como resposta, fazia o mesmo com ela. Até que no final de 2018, fui até a casa dela a ajudar, pois ela tinha depressão e estava muito mal, morava sozinha e tudo mais, então fui dar uma força (na verdade, a casa dela parecia um chernobyl de sujeira, ela tinha um problema na mão o qual ela não resolvia, oferecia ajuda mas ela não aceitava, creio eu que usava isso como válvula de escape para dizer que não fazia nada por conta do problema na mão), sentei pra conversar com ela, perguntei o que estava afligindo ela, pois ela nunca teve problemas com nada a ponto de ser um gatilho para desenvolver uma depressão, logo, eu não entendia bem o porquê dela ficar mal, e sempre projetei que a culpa fosse minha, então nesse dia perguntei se ela era transexual, não sei porquê, mas isso veio em mente, por conta de alguns mínimos sinais, e ela respondeu um "talvez" com jeito de sim. Naquele momento tudo que eu não tinha entendido fez sentido, agora eu entendia o porquê dela sofrer tanto.
Meu mundo caiu naquele momento, não por conta dela ser transexual, pois finalmente percebi o porquê dela sofrer tanto e fiquei triste por isso, mas por conta de quê aquele foi um momento em que a pessoa que até então conhecia morreria. Doeu demais, foi como um luto, escutei até de amigos de que eu não tinha o direito de sofrer pois quem estava sofrendo de verdade era ela. Sentia que não podia sofrer pois isso faria de mim uma pessoa transfóbica. Então fui forte, apesar de ter passado uns dois meses chorando e fiz o que pude pra apoiar minha namorada. Quando ela finalmente resolveu começar os tratamentos hormonais, ela terminou comigo. O dia do término foi uns dos dias mais sofridos pra mim, era final de semestre da faculdade e eu estava passando muito mal, tenho problemas desde a infância com depressão e ansiedade, e só estava aguentando passar por várias coisas turbulentas na minha vida pois iria a um show de uma banda que amo muito em São Paulo, o dia do show foi muito feliz pra mim, sinceramente, fazia tempo que não me sentia bem daquela forma. Logo após o show liguei pra ela pra contar tudo, estava muito feliz, e ela atendeu com uma voz triste e não deu a mínima e falou que tava ocupada. Voltei pra minha cidade no dia seguinte, logo após ter saído do aeroporto ela disse que iria para minha casa, pensei que queria me ver, ela chegou com uma cara muito fechada, e eu estava super animada contando tudo e mostrando fotos e vídeos e ela aparentemente nem aí. Ela pediu pra conversar e terminou comigo. Aquilo me destruiu. Toda a felicidade que vivi naquele show foi embora. Enquanto estávamos sentadas num banquinho que sempre a chamava pra ficar e admirar a vista e relaxar, eu escrevi em dois papeis, como se fosse um decreto que nosso namoro havia terminado, e com um batom, coloquei nossas digitais ali, logo após, rasguei o meu e falei pra ela que esperava que um dia ela rasgasse o dela também. Pois eu a amava muito e não queria isso para a gente.
Bom, ela começou a fazer o tratamento hormonal e começou a se envolver com uma menina que eu já suspeitava durante nosso namoro, sinto que ela terminou comigo pois queria ficar com esta menina sem culpa, porém, a menina se dizia bi, mas na verdade, a menina não a via como menina. Minha ex é uma mulher trans, logo esta menina a enxergava como homem. Ela percebeu isso e um tempo depois voltou a falar comigo, falava que sentia saudade, e a gente se reaproximou.
Bom, resolvemos viajar, eu, ela e mais dois amigos, foi uma viagem horrível, me sentia totalmente excluída, mas acabamos nos aproximando, dormimos na mesma barraca e tudo mais e acabamos transando. Era no meio do mato, então eu estava indo tomar banho de noite, mas meu celular tinha descarregado e n tinha como colocar pra carregar, então pedi o da minha ex emprestado. Só queria a lanterna. Porém ela me deu o celular destravado, e tomei minha pior decisão: olhar a conversa dela com esta menina. Li coisas horríveis que ela disse de mim para esta menina, a menina pedia pra ela passar meu número para me xingar, falava que eu ter sido estuprada era mentira, troca de fotos das duas e coisas assim, não consegui ler muita coisa. Eu só consegui devolver o celular dela com esta conversa aberta e sair correndo no meio do mato. Tomei uma bela de uma queda no meio do escuro e por ali fiquei, chorando. Ela me pediu mil desculpas mas me senti a pior pessoa do universo, e pra falar a verdade até hoje me sinto.
Então, a gente tentou fazer o relacionamento funcionar de novo, ela passou os três meses seguintes na minha casa, porém ela não ajudava em nada, e passava o dia todo deitada lendo webtoon, coisas sobre RPG e assistindo JoJo. Ela dizia que eu não superar este lance dela com a menina estava destruindo a gente, e então eu resolvi me calar e aguentar isso. Mas o peso dela não fazer nada por nós e por ela, e tudo isso me fez pedir pra que ela voltasse pra casa da vó, pois estava no fim do meu semestre e precisava de foco e de tempo para mim. Nesse mesmo momento, uma amiga em comum nossa falou para eu baixar o Tinder, nunca havia utilizado, ela falou que era um bom local para fazer amizades, eu tinha comentado com ela que estava triste pois me sentia isolada. Então baixei aquilo, usava o Tinder ao lado da minha ex, mostrando todas as descrições engraçadas que via. Então ela resolveu baixar também, e bom, logo em seguida ela voltou pra casa da vó.
Então ela mal falava comigo no whatsapp, apesar de passar 100% online. Me tratava bem seco. Eu tinha a chamado para sair e ela negou o convite, tinha planejado pedir ela em namoro oficialmente, e ela sabia disso, e negou. No outro dia perguntei se ela queria terminar comigo, e ela disse que sim, e terminou por whatsapp. Disse que estava sendo algo muito destrutivo. Fiquei muito mal, tentei me matar, pois logo quando nos reaproximamos perguntei se ela realmente queria isso, pois da outra vez que ela terminou comigo, perdi todo meu semestre por causa disso e falei que a faculdade era algo muito importante pra mim para me deixar abalar novamente e fuder tudo de novo. E ela prometeu que queria estar comigo.
Então ela terminou, e continuou falando comigo. Pedi para que nos bloqueássemos porque se não eu não conseguiria a superar, marcamos de nos encontrar um mês depois para conversar. Porém o que aconteceu é que ela se aproximou de uma menina que a minha ''amiga'' que falou para eu baixar o tinder apresentou para ela. (Detalhe: Quando terminei meu namoro, contei para esta amiga que estava muito mal e que queria morrer, ela brigou comigo e falou que eu tinha que me tratar, e que não iria falar mais comigo por um tempo, isto também me magoou demais) 15 dias depois do nosso término, ela já estava namorando outra pessoa. Me bloqueou de absolutamente tudo e disse que não queria falar comigo nunca mais. Sinto que nossos amigos em comum passaram a me tratar diferente também, sinto que me julguem, como se eu tivesse sido transfóbica, ou sei lá, feito algo de ruim pra minha ex, não sei o que ela pode ter dito sobre mim. Não tenho amigos, os que dizia ser meus, na verdade sempre foram dela, só tinha proximidade pois éramos namoradas. Estou completamente sozinha. Me dediquei tanto a este namoro, abri mão de muita coisa, inclusive dos meus estudos, e agora estou aqui, sofrendo. Me sinto um lixo por não superar isso, eu sinto muita falta dela e ainda a amo, ela agora trabalha, tem se virado na vida. Mudou de atitude. Gostaria que ela tivesse feito isso comigo, pensava em ter uma casa com ela, uma família, e lutava por isso, mas a vida é assim, quase nada sai como planejado. É isso aí.
Desculpem meu texto longo.
submitted by corounavairus to desabafos [link] [comments]


2020.03.05 04:26 psicopatola Eu perdi o amor da minha vida, eu acho

Está é uma história sem final, já adianto pra vocês. Só queria desabafar mesmo. Meu nome é Meredith e eu namorei o Derek por dois anos, sempre em um regime não monogâmico. Desde o primeiro dia que a gente ficou junto nunca mais paramos de nos falar. O namoro veio naturalmente, com um pedido lindo, depois de quatro meses em que estávamos juntos. Nunca houve uma conversa sobre ser ou não ser monogamia. Nós sempre conversávamos que na nossa concepção o amor é uma escolha e você é livre para se relacionar com quem quisesse. Tínhamos alguns tratos, tipo não se envolver emocionalmente, não ficar com conhecidos e não conversar sobre outras pessoas que ficávamos. Nunca fiquei com ninguém nesse meio tempo, mas me dava um alívio imenso só de saber que eu teria essa liberdade de escolha.
Pois bem, o tempo passou e as coisas aconteceram. Concluí meu curso médico, fui estudar psiquiatria. Depois que você forma em medicina, você faz a residência médica, que é um grande vestibulaEnem. A partir do resultado da prova, você escolhe um lugar pra ir. Escolhi o hospital mais antigo e tradicional da minha cidade e fui, feliz da vida. Lá conheci o Alex, um outro médico que tinha passado em outro hospital, mas que ia ficar trabalhando comigo nos 9 primeiros meses. Não sei o que foi, mas ele chamou minha atenção logo de cara. Ele era lindo, gente boa, inteligente, engraçado, amava literatura, tocava violão... Já logo no início o feitiço se quebrou um pouco porque ele também era hetero topzera, gostava de ir em boates pagação e ouvir sertanejo. Devo dizer que de cara, o que me chamou a atenção foi a parte física, e não demorou muito para que eu estivesse conversando com ele todos os dias o dia todo. Ele sempre me esperava pra almoçar, me ligava pra saber se eu ia nas aulas, ficava me procurando pra conversar quando acabava o serviço. Ficamos muito próximos até que... Demos um beijo. Foi logo no primeiro mês de residência, estávamos completamente bêbados e eu já não tava aguentando de tesão. E então começou a surgir algo além da amizade.
Nessa altura do campeonato, meu namoro não estava lá essas coisas. Eu estava passando muito tempo ocupada com as coisas do meu serviço e ele estava ocupado com TCC, mestrado, artigo científico. Estávamos cada vez mais distantes um do outro, só que não queríamos reconhecer isso, porque tínhamos um carinho muito grande um pelo outro. As brigas eram constantes e eu ia desabafar com quem? Alex. Passei a enxergar nele um porto seguro, um alguém pra quem eu podia correr caso precisasse. Desabafava sobre os problemas do meu namoro, questões familiares, inseguranças da vida. E a gente conversava cada vez mais.
Ficávamos quase sempre, pelo menos uma ou duas vezes por semana. Às vezes no carro dele, às vezes na casa dele, as vezes em algum lugar do hospital, mas sempre dávamos um jeito. E assim, eu cheguei num ponto do meu namoro em que não dava mais pra continuar. Terminei tudo e ele foi a primeira pessoa que eu contei.
Passamos a ficar cada vez mais próximos um do outro. O carinho e a admiração cresciam cada vez mais, mas ao mesmo tempo, não havia nenhuma conversa que indicasse que ele queria continuar comigo a longo prazo. Informação importante: ele nunca namorou antes. Por causa disso e da ausência de perspectiva futura, passei a viver o presente com ele. Eu amava passar tempo com ele. Ficávamos horas e horas a fio conversando. Cansei de "dormir" na casa dele: o dormir está entre aspas porque na verdade ficávamos conversando até altas horas de madrugada, até que um de nós apagasse primeiro.
Nesse ponto da história, todos os nossos amigos do trabalho sabiam e torciam por nós enquanto eu sentia que aquele relacionamento não tinha futuro. Nunca tinha conhecido nenhum amigo dele ou alguém da família. Eu dizia pra mim mesma que isso não significava nada. Há umas duas semanas atrás, um amigo em comum conversou com ele sobre o nosso relacionamento. Disse que ele deveria assumir os sentimentos dele e que provavelmente eu iria cobrá-lo depois do carnaval. Alex falou pro nosso amigo que provavelmente a gente iria acabar namorando mesmo, porque já não tinha mais jeito. Um tempo depois, eu questionei Alex sobre essa postura de enxergar o nosso namoro como uma consequência do tempo em que a gente tá junto e não do tanto que a gente se gosta. Na minha cabeça não faz sentido: namoros acontecem porque duas pessoas se gostam e pronto. Eu pedi a ele que me perguntasse as coisas ao invés de supor o que eu estava pensando. Ele chorou muito, disse que gostava demais de mim e que não queria me causar sofrimento. Isso foi numa segunda feira. Fiquei terça, quarta e quinta com o coração pesado e acabei chamando ele pra conversar na minha casa. Ele era a pessoa com quem eu mais conversava diariamente. Eu estava sentindo muita falta disso. Na quinta, ele chorou mais ainda, me contou que a faculdade foi horrível pra ele, que ele teve depressão, perdeu 12 quilos e se sentiu um lixo durante muito tempo. Que esse momento de agora que a gente tá vivendo era a primeira vez em que ele está genuinamente feliz, que ele nunca tinha sofrido realmente na vida e que ele tinha medo de se envolver e mudar algo desse momento feliz. Foi muito sofrido pra ele. Ele pediu um tempo pra pensar, pra ver como seria a vida dele no segundo ano de residência e pra tentar entender como ele quer lidar comigo. Depois dessa chamada que eu dei nele, ele descobriu que gosta demais de mim e que não quer ficar comigo sem que seja algo sério.
Eu amo esse homem, gente. Eu não sei ainda se eu quero namorar, mas eu quero ficar junto com ele. O que eu faço? A gente se vê muito pouco agora.
submitted by psicopatola to desabafos [link] [comments]


2020.03.03 03:40 psicopatola Relacionamento à la Grey's Anatomy

Está é uma história sem final, já adianto pra vocês. Só queria desabafar mesmo. Meu nome é Meredith e eu namorei o Derek por dois anos, sempre em um regime não monogâmico. Desde o primeiro dia que a gente ficou junto nunca mais paramos de nos falar. O namoro veio naturalmente, com um pedido lindo, depois de quatro meses em que estávamos juntos. Nunca houve uma conversa sobre ser ou não ser monogamia. Nós sempre conversávamos que na nossa concepção o amor é uma escolha e você é livre para se relacionar com quem quisesse. Tínhamos alguns tratos, tipo não se envolver emocionalmente, não ficar com conhecidos e não conversar sobre outras pessoas que ficávamos. Nunca fiquei com ninguém nesse meio tempo, mas me dava um alívio imenso só de saber que eu teria essa liberdade de escolha.
Pois bem, o tempo passou e as coisas aconteceram. Concluí meu curso médico, fui estudar psiquiatria. Depois que você forma em medicina, você faz a residência médica, que é um grande vestibulaEnem. A partir do resultado da prova, você escolhe um lugar pra ir. Escolhi o hospital mais antigo e tradicional da minha cidade e fui, feliz da vida. Lá conheci o Alex, um outro médico que tinha passado em outro hospital, mas que ia ficar trabalhando comigo nos 9 primeiros meses. Não sei o que foi, mas ele chamou minha atenção logo de cara. Ele era lindo, gente boa, inteligente, engraçado, amava literatura, tocava violão... Já logo no início o feitiço se quebrou um pouco porque ele também era hetero topzera, gostava de ir em boates pagação e ouvir sertanejo. Devo dizer que de cara, o que me chamou a atenção foi a parte física, e não demorou muito para que eu estivesse conversando com ele todos os dias o dia todo. Ele sempre me esperava pra almoçar, me ligava pra saber se eu ia nas aulas, ficava me procurando pra conversar quando acabava o serviço. Ficamos muito próximos até que... Demos um beijo. Foi logo no primeiro mês de residência, estávamos completamente bêbados e eu já não tava aguentando de tesão. E então começou a surgir algo além da amizade.
Nessa altura do campeonato, meu namoro não estava lá essas coisas. Eu estava passando muito tempo ocupada com as coisas do meu serviço e ele estava ocupado com TCC, mestrado, artigo científico. Estávamos cada vez mais distantes um do outro, só que não queríamos reconhecer isso, porque tínhamos um carinho muito grande um pelo outro. As brigas eram constantes e eu ia desabafar com quem? Alex. Passei a enxergar nele um porto seguro, um alguém pra quem eu podia correr caso precisasse. Desabafava sobre os problemas do meu namoro, questões familiares, inseguranças da vida. E a gente conversava cada vez mais.
Ficávamos quase sempre, pelo menos uma ou duas vezes por semana. Às vezes no carro dele, às vezes na casa dele, as vezes em algum lugar do hospital, mas sempre dávamos um jeito. E assim, eu cheguei num ponto do meu namoro em que não dava mais pra continuar. Terminei tudo e ele foi a primeira pessoa que eu contei.
Passamos a ficar cada vez mais próximos um do outro. O carinho e a admiração cresciam cada vez mais, mas ao mesmo tempo, não havia nenhuma conversa que indicasse que ele queria continuar comigo a longo prazo. Informação importante: ele nunca namorou antes. Por causa disso e da ausência de perspectiva futura, passei a viver o presente com ele. Eu amava passar tempo com ele. Ficávamos horas e horas a fio conversando. Cansei de "dormir" na casa dele: o dormir está entre aspas porque na verdade ficávamos conversando até altas horas de madrugada, até que um de nós apagasse primeiro.
Nesse ponto da história, todos os nossos amigos do trabalho sabiam e torciam por nós enquanto eu sentia que aquele relacionamento não tinha futuro. Nunca tinha conhecido nenhum amigo dele ou alguém da família. Eu dizia pra mim mesma que isso não significava nada. Há umas duas semanas atrás, um amigo em comum conversou com ele sobre o nosso relacionamento. Disse que ele deveria assumir os sentimentos dele e que provavelmente eu iria cobrá-lo depois do carnaval. Alex falou pro nosso amigo que provavelmente a gente iria acabar namorando mesmo, porque já não tinha mais jeito. Um tempo depois, eu questionei Alex sobre essa postura de enxergar o nosso namoro como uma consequência do tempo em que a gente tá junto e não do tanto que a gente se gosta. Na minha cabeça não faz sentido: namoros acontecem porque duas pessoas se gostam e pronto. Eu pedi a ele que me perguntasse as coisas ao invés de supor o que eu estava pensando. Ele chorou muito, disse que gostava demais de mim e que não queria me causar sofrimento. Isso foi numa segunda feira. Fiquei terça, quarta e quinta com o coração pesado e acabei chamando ele pra conversar na minha casa. Ele era a pessoa com quem eu mais conversava diariamente. Eu estava sentindo muita falta disso. Na quinta, ele chorou mais ainda, me contou que a faculdade foi horrível pra ele, que ele teve depressão, perdeu 12 quilos e se sentiu um lixo durante muito tempo. Que esse momento de agora que a gente tá vivendo era a primeira vez em que ele está genuinamente , que ele nunca tinha sofrido realmente na vida e que ele tinha medo de se envolver e mudar algo desse momento feliz. Foi muito sofrido pra ele. Ele pediu um tempo pra pensar, pra ver como seria a vida dele no segundo ano de residência e pra tentar entender como ele quer lidar comigo. Depois dessa chamada que eu dei nele, ele descobriu que gosta demais de mim e que não quer ficar comigo sem que seja algo sério. E aí eu fiquei com muuuuuita raiva. Não sei lidar com rejeição por parte dos outros. Eu inicialmente havia concordado em ser amiga dele, mas eu me senti rejeitada. Xinguei ele de todos os nomes que consegui, bem infantil mesmo, e bloqueei ele em todos os lugares. Na sexta feira de carnaval, xinguei mais ele, fiz ele sair de um bloquinho, pra voltar pra casa e conversar comigo. É isso.
Eu amo esse homem, gente. Eu não sei ainda se eu quero namorar, mas eu quero ficar junto com ele. O que eu faço? A gente se vê muito pouco agora.
submitted by psicopatola to desabafos [link] [comments]


ESTOU NAMORANDO UM HOMEM MAIS VELHO Namorado mais velho - Experimento Social Meu Primeiro Namoro Com Um Homem! 'COMO CONQUISTAR UM HOMEM ITALIANO ':-) NAMORAR HOMENS MAIS VELHOS Feat. Dora FIgueiredo

6 mulheres falam sobre como é namorar homens bem mais ...

  1. ESTOU NAMORANDO UM HOMEM MAIS VELHO
  2. Namorado mais velho - Experimento Social
  3. Meu Primeiro Namoro Com Um Homem!
  4. 'COMO CONQUISTAR UM HOMEM ITALIANO ':-)
  5. NAMORAR HOMENS MAIS VELHOS Feat. Dora FIgueiredo

Relacionamento Perfeito 197,435 views. ... 05 DICAS COMO CONQUISTAR UM HOMEM MAIS VELHO - Duration: ... hoje em dia Veja se a diferença de idade pode interferir nos relacionamentos 14 04 2014 ... Ela tinha dúvidas se relacionava ou não com um homem mais velho e f... Skip navigation ... ESTOU NAMORANDO UM HOMEM MAIS VELHO Julia Martins ... 6 sinais de que ele quer um relacionamento sério ... VANTAGENS EM NAMORAR UM GAY! ... Eu sou um cara que namorou um homem por dinheiro! - Duration: 4:57. Dory Story PT Recommended for you. 4:57. Como Foi Ser Passivo Pela Primeira Vez! O Q UM HOMEM ITALIANO PROCURA EM UM RELACIONAMENTO SERIO..... ⚡️ 🎧 New ; Sleep in the tent it's raining / Thunder and rain sound for helping you sleep - Duration: 2:00:39. Ben PAGOS ... hoje em dia Veja se a diferença de idade pode interferir nos relacionamentos 14 04 2014 mircmirc - Duration: ... Meu Relacionamento Com Um Português ... ESTOU NAMORANDO UM HOMEM MAIS VELHO ...