Canção americano

O Crioulo cabo-verdiano em Portugal

2020.10.17 01:27 andoleen O Crioulo cabo-verdiano em Portugal

Oi gente! Eu estava ouvindo a artista Julinho KSD, e vi que aproximadamente meio de cada uma das suas canções são em criolo cabo-verdiano. Depois, eu vi o video da canção “freicken” cantado por Chico da tina, e muitas pessoas nos comments estavam dizendo que este canção foi uma troça de rappers que cantam em crioulo cabo-verdiano. Por conta disso, me parece que rap em crioulo cabo-verdiano é tão popular.
A minha pergunta é, crioulo cabo-verdiano tem um lugar na sociedade popular que é similar ao lugar de AAVE (ingles vernacular da comunidade afro-americano) nos estados unidos? Tipo, pessoas que não são cabo-verdiano usando palavras cabo-verdianos na vida diária deles.
Por exemplo, muitas palavras e frases de AAVE foram popularizados por rappers afroamericanos, tipo “on fleek”, “finna”, “chile”, “we been knew”.
EDIT: Desculpa, escrevi errado. Eu estava falando sobre o efeito do crioulo na lingua portugues de portugal, não da lingua portuguesa que está falado em Cabo Verde. Tipo, “bué”, “iá” e expressões diferentes que estão usado em Portugal mesmo.
Obrigado!
desculpa se eu fiz algumas errões, eu sou americano e português não é minha lingua primeira
submitted by andoleen to Portuguese [link] [comments]


2020.10.05 03:01 YatoToshiro FGO: North American Myth War: E Pluribus Unun (Analise)


https://preview.redd.it/154w34yjd6r51.png?width=1024&format=png&auto=webp&s=c8a5c3adb3635e7b10c97c30a391f441c99ed17b
Ritsuka e Mash chegam na era em uma floresta. Eles se deparam com uma batalha, com um lado usando robôs semelhantes aos de Charles Babbage. Os robôs confundem Ritsuka e Mash como reforços inimigos e os atacam. Depois de destruir os robôs, a dupla é atacada pelo lado oposto quando o outro recua. Embora eles sejam capazes de vencer, Ritsuka é repentinamente atingido por tiros de canhão e fica inconsciente.
Ritsuka mais tarde acorda em uma barraca, sendo tratado por uma mulher. Ela se prepara para amputar o braço deles quando Mash a convence a não fazer isso. Mash então cura as feridas de Ritsuka com um pergaminho mágico. Mash explica que eles estão na base traseira do Exército da Independência dos Estados Unidos. Ela revela que a mulher é uma serva e seu verdadeiro nome é Florence Nightingale. Ela tenta pedir sua ajuda quando o acampamento é atacado. Ritsuka e Mash saem para repelir o ataque, seguidos por Nightingale. O grupo eventualmente enfrentará os comandantes inimigos, Diarmuid Ua Duibhne e Fionn mac Cumhaill. Eles derrotam Diarmuid, mas Fionn se cura e se junta a ele em outra luta. O grupo os derrota, mas Nightingale corre de volta para o acampamento quando ela sente que os feridos estão sob ataque. Diarmuid e Fionn são forçados a recuar quando um Servo com reforços chega.
Mais tarde, uma mulher seguida por uma comitiva de soldados mecanizados repreende Nightingale por deixar seu posto. Ela revela que a América está em uma guerra entre o Oriente e o Ocidente; Oriente sendo os celtas, Ocidente implorando pelos Estados Unidos Ocidental. Ela então se apresenta como Helena Blavatsky. Ela recusa o pedido de Mash para deixar Nightingcale ajudá-los a resolver a Singularidade, mas Nightingale ignora suas ordens. Sem escolha, Helena ordena que seus soldados subjugem o grupo. Eles destroem os robôs, mas Karna chega e os ataca com Brahmastra.
O grupo mais tarde acorda, tendo sido nocauteado pela onda de choque criada quando Mash bloqueou Brahmastra. Eles estão sendo transportados para Denver, onde o rei de Helena tentará convencê-lo a se juntar a ele. O grupo acabou chegando a Denver, onde um castelo foi construído quando os celtas tomaram a Casa Branca.
Dentro do castelo, o grupo encontra Thomas Edison, presidente-rei dos Estados Unidos. Edison pede a ajuda de Ritsuka para derrotar os celtas. Antes de assumir o comando, os celtas superavam os americanos. Ele igualou as probabilidades com seus robôs, mas ele carece de Servos suficientes para virar a maré. Ele declara que fará com que os civis trabalhem 20 horas por dia para manter a produção em massa de seus robôs. Ele então revela que usará o poder do Graal para criar sua América ideal em uma linha do tempo diferente. Este ato pode destruir as outras eras. Nightingale tenta atacar Edison, mas Karna a restringe. Edison então dá a Ristuka três minutos para tomar uma decisão. Ritsuka se recusa a entrar, então Edison faz seus robôs subjugarem o grupo. Oprimido pelo grande número de robôs, o grupo é enviado para a prisão subterrânea.
Na prisão, a ligação de energia mágica de Ritsuka com seus servos é neutralizada por Helena para evitar sua fuga. Mais tarde, enquanto o grupo luta para escapar, um Servo aparece de repente diante deles. Ele pegou emprestado o Nobre Fantasma de outro para evitar Karna e se apresentou como Geronimo. Ele tira o grupo de suas celas e os ajuda a escapar. Ao longo do caminho, ele revela que faz parte de uma resistência contra Edison e os celtas com três outros servos. Ele pede ao grupo para se juntar a ele. O grupo finalmente escapou após derrotar Karna.
O grupo chega a uma cidade deserta que serve como esconderijo da Resistência. Geronimo pede a Nightingale para curar um membro Servo da Resistência. Os outros notam que seu coração está gravemente danificado. Ele se apresenta como Rama, e Gáe Bolg causou seu ferimento. No entanto, Rama não pode ser curado a menos que a maldição de Gáe Bolg seja removida. Já que lutar contra Cú Chulainn para destruir sua lança é quase suicida, o grupo concorda em encontrar um Servo parente de Rama para remover a maldição. Rama sugere sua esposa, Sita, que está presa em algum lugar. O grupo então discute como lidar com os exércitos aparentemente intermináveis de Edison e os celtas. Os soldados celtas nascem continuamente de sua rainha, enquanto os robôs de Edison são produzidos em massa. O grupo deve assassinar os dois líderes para impedir o crescimento de seus exércitos. Eles então partem para recrutar Servos para ajudá-los.
Durante a viagem, Geronimo explica como os cidadãos americanos ocidentais são forçados a trabalhar nas linhas de produção em massa da infantaria mecanizada. O grupo chega a Lubbock, onde dois arqueiros, membros da Resistência, estão sendo sitiados por celtas. Eles os ajudam a repelir o ataque. Os dois se apresentam como Robin Hood e Billy the Kid. Depois que Mash dá os detalhes, Geronimo sugere que o grupo precisa de Sabre e Lancer para ajudar. Robin confessa que conheceu dois Servos problemáticos que se encaixavam nas classes mencionadas anteriormente.
Mais tarde, o grupo chega à entrada de Dallas, onde se encontra um dos Servos que Robin conheceu. Depois de derrotar alguns soldados celtas inesperadamente fracos, eles ouvem uma canção perturbadora que Ritsuka, Mash e Robin reconhecem. Entrando na cidade, eles se encontram com Elizabeth Báthory enquanto ela continua cantando. Eles deduzem que é por isso que os soldados eram tão fracos. Mash convence Elizabeth a se juntar a eles, dizendo que isso ajudará a promover sua arte.
Passando por uma floresta para Alexandria, o grupo testemunha Nero Claudius sendo confrontado por Fergus mac Róich, que foi enviado para matá-la. Robin usa No Face May King para emboscá-lo quando Nero revela sua presença. Os outros então chegam para derrotar Fergus. Antes de desaparecer, Fergus diz a Rama que Sita está detida na Ilha de Alcatraz.
Mais tarde, Geronimo informa aos outros que o reduto celta é a Casa Branca. Ele afirma que o grupo será dividido em dois. Um com Nightingale para resgatar Sita, e outro para se infiltrar na Casa Branca e assassinar a rainha celta. Geronimo decide que Ritsuka e Mash acompanharão Nightingale e Rama; Nero convence Elizabeth a ir com eles. Levando os outros com ele, Geronimo recebe um dispositivo de comunicação de Mash. Na manhã seguinte, o grupo se dividiu em suas respectivas equipes para realizar suas missões.
O grupo de Ritsuka chega à costa perto de Alcatraz. Eles então pegam um barco para a ilha. Chegando à costa da ilha, o grupo se dirige para a prisão enquanto mata wyverns enviados por um Servo. Chegando à prisão, eles enfrentam o Servo, que se apresenta como Beowulf. O grupo mata seu dragão e luta contra ele. Depois de ser derrotado, Beowulf permite que eles entrem na prisão.
Dentro da prisão, o grupo encontra Sita enquanto Rama desmaia de seu ferimento. Sita revela que Rama está sob uma maldição que os mantém separados, mesmo como espíritos heróicos. Qualquer um deles será convocado como Rama para nunca ser convocado simultaneamente, embora a Singuralidade seja uma exceção. Nightingale cura a ferida de Rama, mas a maldição de Gáe Bolg ainda persiste. Sita então se sacrifica pegando a maldição para dissipá-la. Depois que Rama acorda, o grupo sai para se encontrar com o grupo de Geronimo.
Em Washington, o grupo de Geronimo vai assassinar a rainha celta, Medb, durante um desfile. Eles a espreitam com No Face May King e a isolam em Nuptiae Domus Aurea. No entanto, Cú Chulainn Alter aparece de repente quando Medb o chama e ataca Nero. Confuso com sua força dentro do teatro, o grupo descobre que Medb o criou a partir de seu desejo no Graal de Cú Chulainn ser um rei forte e mau que ficará ao lado dela. O grupo luta com ele quando Arjuna chega. Cú Chulainn Alter luta com Nero sozinho enquanto Medb e Arjuna lutam contra os outros. Geronimo ordena a Robin que pegue o comunicador e escape. Depois que ele escapa, os outros continuam com sua batalha.
Enquanto isso, em Alcatraz, o grupo de Ritsuka foge da prisão quando são confrontados por Fionn e Diarmuid. Depois de matar o par, eles recebem uma transmissão de Robin. Ele informa que o plano de assassinato falhou. Ele diz a eles para se encontrarem com ele na base abandonada dos Estados Unidos para onde ele está se dirigindo. Recebendo suas coordenadas, o grupo sai para se encontrar com ele.
Enquanto o grupo de Geronimo continua sua batalha, Geronimo solta Tsago Degi Naleya em Arjuna. Arjuna o destrói com Agni Gandiva, então mata Billy. Medb mata Gerenimo depois que ele previu que ela morreria em breve. Ela então ordena que Arjuna persiga Robin. Depois que seu teatro desaba, Nero é liquidado por Cú Chulainn Alter.
O grupo de Ritsuka acabou localizando Robin para vê-lo sob ataque dos celtas. Depois de ajudá-lo, Robin conta a eles sobre o assassinato fracassado de Medb. Ele também diz que um Servo o salvou da perseguição de Arjuna e Cú Chulainn Alter. Essa mesma Serva então se apresenta como Scáthach. Ela originalmente pretendia destruir a era até decidir que um humano precisa encerrar a guerra ao ver Ritsuka. Ela se recusa a entrar no grupo, mas oferece a ela a mesma ajuda. Ela admite que nem mesmo pode derrotar Cú Chulainn Alter, já que seu poder concedido pelo desejo de Medb rivaliza com o dela. Ela poderia destruir o Graal junto com Medb, mas isso atrasaria muito o reparo da era. Enquanto lutava contra mais celtas, o grupo encontrou Li Shuwen. Ele luta com Mash até a paralisação para testar a força do grupo e para convencer Scáthach a duelar com ele. Ele se recusa a se juntar ao grupo, embora seja um aliado. Ele então sai, dizendo que Edison parece estar possuído. O grupo então sai de Denver para enfrentar Edison.
Viajando de volta para o oeste, o grupo chega a Kearney enquanto é atacado pelos celtas. Eles capturam alguns deles a mando de Robin. Ritsuka e Robin levam os prisioneiros a um robô de infantaria mecanizado. Robin afirma que é o segundo-tenente Anderson Komadori e está transferindo prisioneiros para o quartel-general. Como os prisioneiros são celtas, o robô permite que ele passe. O grupo segue para o castelo de Edison.
O grupo ultrapassa o guarda-robô e entra no castelo. Eles lutam contra Karna até que Edison o chama de volta para a sala do trono. Lá o grupo derrota Edison, junto com Helena e Karna. Edison se recusa a desistir e tenta beber um elixir para se transformar, mas Karna o joga no chão. Nighingale informa que o exército celta é infinito, enquanto o dele é limitado. É então revelado que a tirania de Edison resultou de sua mente sendo afetada por pensamentos acumulados dos presidentes que lhe confiavam o futuro da América. Edison é finalmente convencido por todos a se juntar ao grupo.
Mais tarde, o grupo traça uma estratégia para derrotar os celtas. Os celtas invadirão Denver pelas rotas norte e sul. Se você conquistar mais parte da América, a era não resistirá por muito tempo à separação da realidade e ao colapso. O grupo eventualmente decide com um ataque em duas pontas com dois exércitos para atacar ao longo das rotas do norte e do sul. Um exército manterá sua posição contra os celtas enquanto o outro avançará para a Casa Branca. O grupo deixa a decisão de quais Servos irão com qual exército para Ritsuka.
No dia seguinte, Ritsuka anuncia sua decisão. O exército do norte terá Elizabeth, Robin, Edison e Helena. O exército sul terá os outros. O exército norte então parte para esperar a batalha daqui a três dias ao anoitecer. Depois de testar a determinação de Ritsuka e Mash, Scáthach ordena que Rama comande o exército, já que ela não se juntará à batalha. Em vez disso, ela monitorará Medb e Cù Chulainn Alter, que ela impedirá de entrar na linha de frente. Depois que ela sai, o exército do sul começa seu avanço em direção a Washington.
Quando o exército do sul chega a Montgomery, Mash retransmite uma mensagem de Karna de que sua vanguarda derrotou uma vanguarda inimiga com alguns avanços. Depois de derrotar os retardatários, o exército do sul continua seu avanço quando um batedor informa que o exército celta à frente é liderado por Arjuna. Rama ordena que ele diga a todas as tropas para não se envolverem com Arjuna. Arjuna ordena que suas tropas ataquem o exército do sul enquanto ele luta contra Karna. O exército do sul e o exército celta se enfrentam enquanto Karna e Arjuna lutam. Eventualmente, o exército do sul derrota o exército celta, enquanto a batalha de Karna e Arjuna continua. No entanto, Karna é atingido por trás por Cù Chulainn Alter. Ele revela que matou Scáthach e luta contra o grupo. Ele se prepara para matar Mash quando Merlin, projetando-se através de Fou, o prende em uma ilusão. Karna aproveita para lançar Vasavi Shakti em Cù Chulainn Alter com o que resta de suas forças. No entanto, não foi forte o suficiente para matar Cù Chulainn Alter, e Karna desaparece. Cù Chulainn Alter então se retira para Washington para curar suas feridas. O grupo tenta persegui-lo quando Arjuna os impede para lutar contra eles. Depois de derrotá-lo, Mash pede a Arjuna para se juntar a eles, mas ele recusa e vai embora. O exército do sul então continua seu avanço.
Enquanto o exército do sul se envolve com as forças celtas que se aproximam, os detalhes da luta entre Cù Chulainn Alter e Scáthach são revelados. Durante a luta, Scáthach e Cù Chulainn Alter anularam o Gáe Bolg um do outro. Scáthach ativa Portão de Skye para puxá-lo para a Terra das Sombras, mas ele ativa Curruid Coinchenn para evitar isso. Ele então a esfaqueia, e ela foge para a Terra das Sombras para se recuperar. Lá ela conhece Li Shuwen e pede a ele para ajudar o exército do norte até que ela se recupere. Li Shuwen atende seu pedido. Na frente norte, o exército norte continua sua batalha contra o exército celta principal. Beowulf chega e luta contra Robin e Elizabeth, enquanto Helena e Edison lutam contra os celtas. Felizmente para Robin e Elizabeth, Li Shuwen chega e se envolve em uma briga com Beowulf.
Enquanto isso, o grupo de Ritsuka finalmente chega a Washington. Eles matam os monstros invocados de Medb e perseguem-na quando ela se retira para a Casa Branca. Na Casa Branca, o grupo vê que foi transformado de seu estado original. Lá dentro, eles lutam contra Cù Chulainn Alter e Medb. Embora mortalmente ferido por Brahmastra, Medb usa o Graal para convocar o Clã Calatin para atacar o exército do norte. Ela então dá o Graal a Cù Chulainn Alter antes de desaparecer. A energia mágica de Cù Chulainn Alter enfraquece devido à autocorreção do fortalecimento da era com Medb agora extinto. O grupo então luta contra Cù Chulainn Alter.
Ao mesmo tempo, o exército do norte continua a lutar contra o clã Calatin. Edison tenta se autodestruir sobrecarregando seu Nobre Phantasm para proteger os outros. Ele é interrompido pelo súbito aparecimento de Nikola Tesla, que chegou para salvar a era para se arrepender de suas ações em Londres. Percebendo que seus ataques são eficazes, Tesla e Edison liberam seus Nobres Phantasms simultaneamente para selar o Clã Calatin. Arjuna então chega e se sacrifica para lançar um Pashupata restrito para destruir o Clã Calatin.
Enquanto isso, na Casa Branca, o grupo derrota Cù Chulainn Alter. No entanto, ela usa o Graal para se encarnar em Halphas. Nightingale usa Nightingale Pledge para curar o grupo. Depois de derrotar Halphas, Ritsuka e Mash retornam à Caldéia com o Graal.
____________________________________________________________________________________________________________


https://preview.redd.it/t5x1e1brd6r51.png?width=700&format=png&auto=webp&s=c0457a892592377d33c90a7e8d351e9d536f68ed
Eu ia considerar isso Maravilhoso (5 estrelas), mas essa Singularidade foi a mais longa até agora e metade dele é legal e outra metade é mais ou menos.
E é aqui que a Scathach aparece pela 1º vez no jogo. E quando ela apareceu foi a parte mais legal do jogo.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.08.15 19:01 HoBaLoy Descendo para a Toca do Coelho: Um Guia Refinado para as Teorias, Análises, etc de ASOIAF para se Perder Durante a Quarentena

Traduzido diretamente do Guia elaborado por u/BryndenBFish
Aviso: contém trocadilhos e piadas que são mais engraçadas para americanos.
Aviso 2: Contém pequenas modificações para a tradução ficar condizente.
Aviso 3: Contém MASSIVA quantidade de SPOILERS. E, sendo uma tradução, a imensa maioria está em inglês com poucas exceções que já tivemos aqui no Valiria
Descendo para a Toca do Coelho: Um Guia Refinado para as Teorias, Análises, etc de ASOIAF para se Perder Durante a Quarentena
Introdução
Então, você está sentado em casa assistindo novamente The Office pela nona vez na Netflix, tentando se convencer de que foi a maior comédia de todos os tempos (não era). Entre mordidas em Cheetos rançosos de duas semanas, você abre seu celular flip da Motorola, toca no botão do navegador, aguarda 3 minutos para que o aplicativo seja iniciado, digita "Teorias das Crônicas de Gelo e Fogo" no buscador e espera outros 6 minutos para a página carregar e violá, você está dentro.
Mas espere! Há muitas para escolher? Quais são boas?
E é aí que eu entro. Estou aqui para ajudá-lo a se perder.
Embora eu seja um co-apresentador de um podcast e tenha participado de vídeos do YouTube de vez em quando, estou fazendo deste um post somente escrito. (Sinta-se à vontade para postar no youtube ou podcast ou sei lá o quê!) Portanto, nesta lista cultivada de teorias de análises ESCRITAS, APENAS PARA LIVROS, etc, listarei textos que me deliciei ao longo dos anos e espero mantê-los entretidos durante nossos problemas atuais.
ANÁLISE
Meta: Como GRRM escreve ASOIAF
Uma Crônica de Fatos e Números: análise detalhada de / u / werthead de como cada livro no ASOIAF foi escrito com informações básicas do processo de escrita, contagem de palavras, etc:
AGOT a-song-of-facts-and-figures-game-of.html
ACOK a-song-of-facts-and-figures-clash-of.html
ASOS a-song-of-facts-and-figures-storm-of.html
AFFC a-song-of-facts-and-figures-feast-for.html
ADWD a-song-of-facts-and-figures-dance-with.html
Não quero promover meu próprio trabalho, mas escrevi bastante sobre metatópicos que podem ser do interesse de alguns de vocês. Vou criar um link para alguns deles abaixo:
Como o sucesso de GAME OF THRONES provavelmente contribuiu para a espera de OS VENTOS DE INVERNO spoilers_extended_meta_how_the_success_of_game_of/
Como uma virada sombria no POV favorito de GRRM contribuiu para a longa espera por ADWDspoilers_extended_meta_how_a_dark_turn_in_grrms/
A história que GRRM originalmente queria contar: examinando os presságios do GRRM no contexto da lacuna de cinco anosspoilers_extended_the_story_grrm_originally/
Uma teoria sobre por que GRRM pensou que poderia terminar TWOW em 2015spoilers_extended_meta_a_theory_on_why_grrm/
Uma análise e exploração do nó meereenêsspoilers_all_an_analysis_exploration_of_grrms/
Como uma profecia em ADWD foi alterada por GRRM antes do lançamento, e o que isso poderia significar para a análise de TWOW: / u / indianthane95 de como uma leitura GRRM de ADWD, Daenerys III em 2005 foi editada antes do livro ser publicado e por quê.spoilers_all_how_a_prophecy_in_adwd_was_changed/
A carta de 1993 nos mostra GRRM foreshadowing que ele mais tarde abandonou: / u / feldman10 a análise da carta de apresentação de 1993 e como GRRM mudou seus principais foreshadowings quando publicou AGOT três anos depoisspoilers_all_the_1993_letter_shows_us_some_grrm/
Na luz do sol, sem culpagrrms-thinly-veiled-gone-with-the-wind-obsession
A linha descartável em AGOT que sugere o ultimato: / u / zionius_ teoria que Daniel Abraham foi instruído por GRRM a manter nos quadrinhos, pois tem ramificações do "final”.spoilers_extended_the_throwaway_line_in_agot_that/
The ASOIAF Archives Series: / u / jen_snow análises magistrais de todas as maneiras como os capítulos base foram alterados antes de sua publicação.spoilers_extended_asoiaf_archives_september_2000/
Como GRRM reescreve ASOIAF: visão detalhada de / u / zionius_ sobre as reescritas de ASOIAF por GRRM com foco especial em AFFC / ADWD.how_grrm_rewrites_comparing_affc_draft_chapters/
Análises Narrativas
Um guia completo para a sucessão Westerosi por / u / galanix: um dos recursos mais úteis para tentar determinar quem é o próximo a realeza / senhorio / o que quer que seja.spoilers_all_complete_guide_to_westerosi/
O Meereenese Blot forneceu as melhores defesas da escrita de GRRM dos arcos de personagens de Dany, Jon, Tyrion e enredos Dorneses em AFFC / ADWD. Escrito entre 2013 e 2014 por / u / feldman 10, estou incluindo-os nesta seção como o foco no valor narrativo desses personagens POV
Desembaraçando o nó meereenês: Dany
Parte 1: Quem envenenou os gafanhotos?untangling-the-meereenese-knot-part-i-who-poisoned-the-locusts/
Parte 2: A paz era realuntangling-the-meereenese-knot-part-ii-the-peace-was-real/
Parte 3: A luta de Dany consigo mesmauntangling-the-meereenese-knot-part-iii-danys-struggle-with-herself/
Parte 4: Uma Daenerys Sombriauntangling-the-meereenese-knot-part-iv-a-darker-daenerys/
Parte 5: Hizdahr e Paz ou Daario e Guerrauntangling-the-meereenese-knot-part-v-hizdahr-and-peace-or-daario-and-wa
Outras Guerras: Jon
Parte 1: O Coração Nobre e o Maior Dever de Jonother-wars-part-i-jons-noble-heart-and-greater-duty/
Parte 2: Apoio de Jon a Stannisother-wars-part-ii-jons-support-for-stannis/
Parte 3: A Missão de Manceother-wars-part-iii-the-mance-mission/
Parte 4: Pessoas Querendo Ajuda: Alys Karstark e a Missão Hardhomeothers-wars-part-iv-people-wanting-help/
Parte 5: A Paz, a Carta Rosa e o Discurso do Salão dos Escudosother-wars-part-v-the-peace-the-pink-letter-and-the-shieldhall-speech/
Parte 6: Três perguntas sobre o futuro de Jonother-wars-part-vi-three-questions-about-jons-future/
Pagando Suas Dívidas: Tyrion
Parte 1: Tyrion em Porto Realpaying-his-debts-part-i-tyrion-in-kings-landing/
Parte 2: Sofrimentos, Prostitutas e um Jogo de Cyvassepaying-his-debts-part-ii-sorrows-whores-and-a-game-of-cyvasse/
Parte 3: Tyrion e Pennypaying-his-debts-part-iii-tyrion-and-penny/
Jardins de Água e laranjas sanguíneas: Dorne
Parte 1: A Víbora e a Gramawater-gardens-and-blood-oranges-part-i-the-viper-and-the-grass/
Parte 2: Ambições de Ariannewater-gardens-and-blood-oranges-part-ii-ariannes-ambitions/
Parte 3: Dever e Destino de Quentynwater-gardens-and-blood-oranges-part-iii-quentyns-duty-and-destiny/
Parte 4: Termina em Sanguewater-gardens-and-blood-oranges-part-iv-it-ends-in-blood/
A última tentação de Jon Snow: nesta série de duas partes, / u / MaesterMerry analisa o mandato de Jon Snow como Senhor Comandante da Patrulha da Noite, prestando atenção especial à narrativa e às lutas filosóficas do mundo real que GRRM escreve na história de Jon em ADWD
Parte 1: Matando o Meninohttps://upfromunderwinterfell.wordpress.com/2019/06/15/the-last-temptation-of-lord-commander-snow-part-1-killing-the-boy/
Parte 2: A escolhahttps://upfromunderwinterfell.wordpress.com/2020/02/05/the-last-temptation-of-lord-commander-snow-part-2-the-choosing/
Sansa, Jeyne, Theon: Saber seu nome: A especulação de/ u / Zombie-Bait sobre a repetição de temáticas em TWOW e como Sansa irá emular Cat em TWOW para os Senhores do Vale.https://liesandarbor.wordpress.com/2018/12/04/sansa-jeyne-and-theon-you-have-to-know-your-name/
Momentos de Arranhão de Disco: GRRM e Misdirection: Como GRRM confunde seus leitores com misdirection com uma súbita sacudida na narrativaspoilers_extended_record_scratch_moments_grrm_and/
Clube das Donzelas Mortas: Uma análise crítica de como GRRM usa as mortes de mulheres e mães, em particular na ASOIAFhttps://joannalannister.tumblr.com/post/162408885186/the-dead-ladies-club
Milhões de pêssegos, pêssegos para mim: análise de / u / fat_walda de como os alimentos são usados ​​na ASOIAF para iluminar temas e a divisão socialspoilers_all_millions_of_peaches_peaches_for_me/
Memórias de Limão, ou Lemories, ou Como eu Aprendi a parar de ingerir papel laminado e compreender ASOIAF: reflexão de / u / jonestony710 sobre como ele começou a pensar “através do papel alumínio” no que se refere à Casa com a Porta Vermelhaspoilers_extended_lemon_memories_or_lemories_o
São lobos que pretendo caçar: Matt do podcast Davos Fingers rastreia todas as conspirações Frey / Bolton / Lannister para chegar ao Casamento Vermelhohttps://davosfingers.tumblr.com/post/146273054899/it-is-wolves-i-mean-to-hunt-the-motivations-of
Análises Políticas / Legais
Coroas ocas e espinhos mortais - Parte IV: Renly e Stannis: Esta série inteira de Steven Attewell foi excelente, mas este ensaio é o “crème de la crème”. Nele, Attewell analisa as concepções e visões de Renly & Stannis sobre a realeza.https://towerofthehand.com/blog/2013/06/17-hollow-crowns-deadly-thrones/index.html
Mãos do Rei: / u / vikingkingq dá uma olhada nas mãos de várias Mãos do Rei na ASOIAF:
Os primeiros Mãoshttps://towerofthehand.com/blog/2012/04/17-hand-of-king-early-hands/index.html
Mãos em crise (Bloodraven e Baelor Quebra-Lanças)https://towerofthehand.com/blog/2012/04/24-hands-of-king-hand-in-crisis/index.html
Tywin, o Grande?https://towerofthehand.com/blog/2012/05/22-hands-of-king-tywin-great/index.html
Os homens honestos (Jon Arryn e Ned Stark)https://towerofthehand.com/blog/2012/10/23-hands-of-king-two-honest-men/index.html
Tyrion Lannisterhttps://towerofthehand.com/blog/2012/12/12-hands-of-king-tyrion/index.html
Em uma série de ensaios que examinam as leis e costumes de Westeros, / u / LawsOfIceAndFire desconstrói a estrutura legal do reino
Governe o reino (meninas): Uma Análise do Grande Conselho de 101https://lawsoficeandfire.wordpress.com/2019/04/10/rule-the-realm-girls/
O fim de Game of Thrones e o enigma da sombra de Varys: O enigma de Varys no contexto da série e dos livroshttps://lawsoficeandfire.wordpress.com/2019/05/09/power-resides-where-men-believe-it-resides-but-which-men/
O grande não varrida de Tyrion Lannister com a Justiça Criminal de Westerosihttps://lawsoficeandfire.wordpress.com/2019/07/12/tyrion-lannisters-not-great-interactions-with-westerosi-criminal-justice/
Oferta, aceitação, pão e sal: uma análise jurídica do contrato de direito de hóspede: Direito de Hóspede, como funciona, costumes, o que acontece quando foi violadohttps://lawsoficeandfire.wordpress.com/2019/09/16/bread-and-salt-offer-and-acceptance-a-legal-analysis-of-the-guest-right-contract/
Por que não deveríamos nos governar novamente? - Westeros e o contrato socialhttps://lawsoficeandfire.wordpress.com/2020/01/29/why-shouldnt-we-rule-ourselves-again-westeros-and-the-social-contract/
O gênio financeiro de Mindinho, de / u / Militant_Penguin, sobre como Mindinho está negando suas perdas financeiras no Vale em AFFC.spoilers_affc_the_financial_genius_of_littlefinge
Análise Geográfica / Regional / Casas / Diversos
Uma ordem dos sussurros, uma cidade dos segredos: Uma Análise de Braavos, o Banco de Ferro e os Homens Sem Rostohttps://upfromunderwinterfell.wordpress.com/2018/03/16/an-order-of-whispers-a-city-of-secrets/
O lado escuro dos Portões da Lua: / u / Zombie-Bait examina o Vale na História e em TWOWhttps://liesandarbor.wordpress.com/2018/12/04/the-dark-side-of-the-moon-doo
Fosso Cailin, Fosso de Problemas: análise de / u / bookshelfstud de Fosso Cailin como um cenário em ASOIAF e o que está reservado para TWOWspoilers_extended_moat_cailin_moat_problems_a/
A ascensão e queda da casa Velaryon: / u / bookshelfstud's análise de como uma das casas históricas mais poderosas de Westeros perdeu seu poder na época do AGOThttps://offmichaelsbookshelf.wordpress.com/2015/06/23/high-tide-the-rise-and-fall-of-house-velaryon/
Como o Cão foi armado: uma reflexão sobre a arte e a armadura da Idade Média: análise de / u / fat_walda sobre a armadura de Sandor Clegane e como ela se compara à armadura medieval realspoilers_main_how_the_hound_was_helmed_an/
Escamagris em ASOIAFhttps://justadram.tumblr.com/post/57454498995/meta-monday-greyscale
Água, água, em todos os lugares: análise de / u / mightyisobel da água e como GRRM escreve belas cenas de água em toda ASOIAF (mas especialmente em AFFC) e o que isso significaspoilers_affc_water_water_everywhere/
Os mapas de ASOIAF: / u / werthead's um olhar para a geografia de Planetos com extensa análise de como a geografia do mundo foi criadahttps://atlasoficeandfireblog.wordpress.com/page/16/
Filhos Targaryen + não Targaryen sempre favorecem o pai não Targ: Uma teoria que pode ter influenciado GRRM a mudar a cor do cabelo da Princesa Rhaenys.targaryen-non-targaryen-children-always-favor-the-non-targ-parent/
Análise de Personagem
Meu co-apresentador de podcast e amigo / u / poorquentyn fez algumas das melhores análises de personagens POV em ADWD. Vou criar um link para todos eles aqui:
Tyrion em ADWDhttps://poorquentyn.tumblr.com/tagged/tyrion-in-adwd/chrono
Davos em ADWDhttps://poorquentyn.tumblr.com/tagged/davos-in-adwd/chrono
Quentyn em ADWDquentyn-in-adwd/chrono
De Peão a Jogador: Repensando Sansa: Leitura incrivelmente detalhada do enredo de Sansa com toneladas e toneladas de análises - tanto literárias quanto in-story.from-pawn-to-player-rethinking-sansa-xxi/
Tantos votos: juramentos em conflito: / u / somethinglikealawyer excelente análise e ensaio sobre a Torre da Mão e sobre como GRRM usa juramentos como um veículo para conflito pessoal e nacional em ASOIAFso-many-vows-oaths-in-conflict/index.html
Filha da Morte: As Crônicas de Gelo e Fogo, o Herói Trágico Shakespeariano Análise de / u / glass_table_girl sobre os temas de Shakespeare da história de Daenerys Targaryen e por que isso significará sua morte nos livrosdaughter-of-death-a-song-of-ice-and-fires-shakespearean-tragic-hero/
Vocês não são as pedras, mas os homens: Ned Stark e Brutus: O olhar de ShakesOfThrones sobre as comparações entre Gaius Brutus e Ned Starkyou-are-not-stones-but-men-ned-and-brutus/
Stannis Baratheon: MacBeth Revisited: Análise de ShakesOfThrones de Stannis Baratheon, comparando-o à figura shakespeariana de MacBethstannis-baratheon-macbeth-revisited/
Herói com Mil Faces: Os Mentores de Jon Snow, Parte 1: O Lobo Quieto: / u / housemollohan dá início a uma série sobre os mentores de Jon com uma análise do relacionamento de Jon com seu pai Ned Stark.spoilers_extended_the_hero_with_a_thousand/?utm_source=share&utm_medium=ios_app&utm_name=iossmf
Ben Mulato Plumm: mau jogador de Cyvasse, pior poker face: / u / SerDonalPeaseburyspoilers_extended_brown_ben_plumm_bad_cyvasse/
Uma estrela cadente em Westeros por / u / Zombie-Bait: Analisa Ashara na história: quem era ela, o que ela queria, ela está viva?a-falling-star-in-westeros-pti-analyzing-ashara-dayne/
Sansa e a boa rainha Alysanne: / u / Zombie-Bait compara a Eleanor de Aquitânia "Histórica" ​​e "Moderna" em ASOIAF.sansa-and-good-queen-alysanne/
Misericórdia, misericórdia, misericórdia: explorando os enredos de Arya, Sansa e Sandor: / u / Zombie-Bait explora os temas de personagens paralelos e dispositivos de narração de histórias que GRRM usa para Arya, Sansa e Sandor.mercy-mercy-mercy-sansa-sandor-and-arya/
Senhora Catelyn: o vazio da Coração de Pedra: / u / Zombie-Bait dá uma olhada detalhada em quem Catelyn Stark é antes e depois de se tornar Senhora Coração de Pedralady-catelyn-the-stone-hearted-emptiness/
O valor da prata: rainhas e moedas - ou "Como a história de Daenerys se parece com a origem de seu nome": análise de / u / glass_table_girl do nome de Dany e uma moeda romana para a qual GRRM pode ter chamado a atençãospoilers_all_the_value_of_silver_queens_and_coins/
A conexão de Papel Alumínio: Por que não devemos confiar em Marwyn: análise crítica de / u / bookshelfstud sobre Marwyn, o Mago, e como ele pode ser um loucothe-tinfoil-link-dont-trust-marwyn/
Perseguindo o Dragão, Parte 1: Analisando um Alquimista: / u / 4187021 a análise abrangente do que o alquimista está fazendo em Vilavelha.chasing-the-dragon-part-1-analyzing-an-alchemist/
Análise Militar
Estratégias de guerra em Westeros por Ken Mondschein: Uma análise aprofundada das Táticas de Guerra Westerosi e como ela se compara à história militar medieval na Europa Ocidental.strategies-of-war-in-westeros/
Muitos anos atrás, escrevi vários ensaios sobre os vários comandantes da ASOIAF. Você pode encontrá-los abaixo:
Robb Starka-complete-analysis-of-robb-stark-as-a-military-commande
Stannis Baratheona-complete-analysis-of-stannis-baratheon-as-a-military-commande
Jaime Lannisterthe-evolution-of-jaime-lannister-as-a-military-commande
Daenerys Targaryena-complete-analysis-of-the-slavers-bay-campaign/
Tywin Lannister:
Parte 1: a lealdade não é opcional até que sejawins-and-losses-a-command-analysis-of-tywin-lannister-part-1-loyalty-isnt-optional-until-it-is/
Parte 2: O Senhor Orgulhosowins-and-losses-a-command-analysis-of-tywin-lannister-part-2-the-proud-lord/
Parte 3: Os frutos da derrotawins-and-losses-a-command-analysis-of-tywin-lannister-part-3-the-fruits-of-defeat/
Parte 4: Penas e Corvoswins-and-losses-a-command-analysis-of-tywin-lannister-part-4-quills-and-ravens/
Parte 5: Alimentando Corvoswins-and-losses-a-command-analysis-of-tywin-lannister-conclusion-feeding-crows/
A Guerra dos Cinco Reis: Análise militar de Stefan Sasse da Guerra dos Cinco Reisfivekings/index.html
TEORIAS
Teorias Gerais
Teoria Blackfyre - Teoria que Aegon VI Targaryen não é filho de Rhaegar Targaryen, mas é na verdade um pretendente Blackfyre.teoria_blackfyre/
O Rei Afogado e o Corvo Sem Rosto: Uma análise bastante convincente sobre a culpabilidade de Euron Greyjoy na morte de Balon Greyjoy.the-drowned-king-and-the-faceless-crow-complete-analysis/
A Grande Conspiração Nortenha - Teoria de que os nortenhos estão jogando Roose e Stannis um contra o outro para colocar Rickon Stark ou Jon Snow como o novo Rei do Norte.a_grande_conspira%C3%A7%C3%A3o_nortenha_parte_7/
Sandor Clegane é o Coveiro - Teoria de que Sandor Clegane não morreu e é o coveiro que Brienne encontrou na Ilha Quieta em AFFC.GravediggeTheories
Lyanna Stark é o Cavaleiro da Árvore que Ri - Teoria de que o CDAQR é Lyanna Stark que defendeu a honra de Howland Reed contra os Freys e combateu no torneiro contra os Freys.Knight_of_the_Laughing_Tree/Theories
R + L = J - O melhor artigo sobre a teoria de que Rhaegar Targaryen foi para a cama com Lyanna Stark e o fruto de sua união foi Jon Snow.https://www.reddit.com/Valiria/comments/ea8tcv/rlj/
Uma morte fria na neve: a teoria de / u / JoeMagician de que Waymar Royce foi identificado como um Stark por Craster. Os Outros aceitaram essa informação e colocaram Waymar em algum tipo de teste ritualizado de suas habilidades de esgrima e que tipo de espada ele possuía.spoilers_extended_the_killing_of_a_range
O Apocalipse Eldritch: / u / poorquentyneldritch-apocalypse/
Mil olhos e uma névoa cinzenta: teoria de que sempre que uma névoa cinza aparece nos livros, isso significa que Bloodraven e/ou Bran estão observandoa-thousand-eyes-and-one-grey-mist/
Irmã Sombria: A conexão de Meera e Arya está por vir, e como ambas irão empunhar a Irmã Sombria.https://liesandarbor.wordpress.com/2018/12/04/the-dark-sister-on-meera-and-arya/
A Pedra de Georgetta: Decifrando uma Mensagem Final A teoria do almirantekird sobre como as últimas palavras de Robert para Ned podem ser comparadas às últimas palavras de Lyanna para Ned.spoilers_all_the_georgetta_stone_deciphering_a/?utm_source=share&utm_medium=ios_app&utm_name=iossmf
Quem era o patrono de Mandon Moore: uma análise de / u / galanix em que teoriza que Mandon Moore foi apoiado por Mindinho, que disse a ele para matar Tyrion na Água Negraquem_mandou_mandon_moore_matar_tyrion/
Stannis enviou uma carta: / u / a4187021 teoria de que Stannis usa o corvo do Meistre Tybald para enviar informações falsas a Winterfell, dizendo-lhes que ele está mortospoilers_all_stannis_sent_a_lette
Teorias históricas
Ambições Sulistas - Teoria de Stefan Sasse de que os Starks, Arryns e Tullys estavam se unindo através do casamento para se opor e possivelmente depor Aerys II Targaryen. (Esta é a minha teoria ASOIAF favorita de todos os tempos)ambi%C3%A7%C3%B5es_sulistas/
A Conspiração de Harrenhall / u / KingLittlefinger: A teoria de que Rhaegar estava planejando convocar um Grande Conselho contra seu pai Aerys II no Torneio de Harrenhall em 281 AC, mas tudo deu errado
Parte 1: As Três Facçõesspoilers_everything_the_harrenhal_conspiracy_part/
Parte 2: um banquete, uma justa e uma coroathe_harrenhal_conspiracy_part_ii_a_feast_a_joust/
Parte 3: Um Rato na Masmorraspoilers_everything_the_harrenhal_conspiracy_part/
Parte 4: O Dragão e a Bruxaspoilers_everything_the_harrenhal_conspiracy_part/
S + B = M: Mel – A Estrelha Vermelha Sangrando / Melony Seastar (revisado): teoria de que Melisandre é filha de Bloodraven e Shiera Seastarspoilers_all_sbm_mel_the_red_star_bleeding_melony/
Resgate na Encruzilhada: / u / lady_gwynhyvfar a teoria de que Rhaegar Targaryen resgatou Lyanna Stark na Estalagem da Encruzilhada para evitar sua captura e assassinato por Aerys II Targaryenrescue-at-the-crossroads/
Sexto Campeão de Rhaegar: / u / jen_snow especula sobre quem foi a sexta pessoa envolvida no "sequestro" de Lyanna Stark por Rhaegar Targaryenspoilers_everything_rhaegars_six_companions/
Teorias TWOW
A Lamparina da Noite: uma teoria alternativa sobre como Stannis vai destruir os Freys em TWOW - / u / cantuse postula que Stannis usará um farol falso para atrair os Frey para a morte na Vila dos Arrendatários.lamparina_da_noite/
A Tragédia dos Três Cavaleiros: a teoria de / u / M_J_Crakehall de que Jaime exigirá um julgamento por combate e, quando o fizer, Senhora Coração de Pedra nomeará Brienne de Tarth, mas Hyle Hunt assume seu lugar como campeã por despeito pelo relacionamento de Jaime e Brienne.spoilers_extended_a_tragedy_of_three_knights/
A Dragon Dawn: Em 2014, escrevi uma série de várias partes prevendo como a Batalha de Fogo seria em TWOW. Algumas das informações estão um pouco desatualizadas (Afinal, Euron não está seguindo Victarion para Meereen), mas vou criar um link para a série abaixo
Parte 1: A tempestade se aproximaa-dragon-dawn-a-complete-analysis-of-the-upcoming-battle-of-fire-part-1-the-gathering-storm/
Parte 2: Cidade na Bordaa-dragon-dawn-a-complete-analysis-of-the-upcoming-battle-of-fire-part-2-city-on-the-brink/
Parte 3: Os Portões do Destinoa-dragon-dawn-a-complete-analysis-of-the-upcoming-battle-of-fire-part-3-the-gates-of-fate/
Parte 4: A Canção do Doce Açoa-dragon-dawn-a-complete-analysis-of-the-upcoming-battle-of-fire-part-4-a-sweet-steel-song/
Parte 5: A Pirâmide Ardentea-dragon-dawn-a-complete-analysis-of-the-upcoming-battle-of-fire-part-5-the-burning-pyramid/
Parte 6: Fogo e Sanguea-dragon-dawn-a-complete-analysis-of-the-upcoming-battle-of-fire-conclusion-fire-and-blood/
O mercenário mais ousado de todos: / u / lady_gwynhyfvar a análise detalhada de Bem Mulato Plumm e a teoria de que Ben Mulato tentará roubar um dragão e se juntar ao Jovem Griffbrown-ben-plumm-the-boldest-sellsword-of-them-all/
Conectando os pontos na Senhora Dustin: teorias de / u / ser_dunk_the_lunk sobre o que a Senhora Dustin está tramando em Winterfell e como ela está trabalhando com Mance Rayderspoilers_all_connecting_the_dots_on_lady_dustin/
Ondulações na paisagem dos sonhos: GRRM mostra sua mão: teoria de / u / bookshelfstud de que Euron está planejando cometer um sacrifício de sangue na batalha contra a Frota Redwyne para levantar krakens spoilers_twow_ripples_in_the_dreamscape_grrm/
O Rei Ferido em Winterfell: / u / Teoria de Bookshelfstud de que Stannis Baratheon será ferido em uma de suas próximas batalhas e se tornará o rei pescador em Winterfellspoilers_extended_the_wounded_king_of_winterfell/
O Retorno do Lobo Branco: A análise intensiva de / u / bookshelfstud de como o personagem de Jon Snow retornará como em TWOW pós-morte.return-of-the-white-wolf-jon-is-coming-back/
Vou Encontrar Outro e o Casamento Vermelho 2.0: / u / indianthane95 nos mostra como Coração de Pedra está planejando um segundo Casamento Vermelho contra os Freys e Lannistersspoilers_all_ill_find_another_and_the_rw_20/
Teoria do Prólogo de TWOW: O Homem Silencioso: teoria de / u / feldman10 de que Ser Ilyn Payne será o ponto de vista do Prólogo para TWOWspoilers_extended_twow_prologue_theory_the_silent/
Teorias mágicas
Sob a estrela sangrenta: A fantástica análise de Stefan Sasse sobre o papel da profecia e da magia na ASOIAF.20-under-bleeding-sta
O inferno é real: / u / JoeMagician's teoria de que os valirianos usam a magia do fogo para criar criaturas do fogo como escravos eternos sem memória, o que fez com que os homens sem rosto se levantassem para acabar com elesspoilers_extended_hell_is_for_real_the_fourteen/
Origens do dragão: / u / CrowfoodsDaughter, a teoria de que os dragões se originaram no Grande Império do Amanhecer.153592-dragon-origins-part-i/&tab=comments#comment-8323214
No lado mais leve
Como seria se todas as teorias da ASOIAF se tornassem verdadeiras?spoilers_published_what_would_asoiaf_be_like_if/cjd15oh/
Desenhe sua cena favorita no ASOIAF com o MS Paintspoilers_main_draw_your_favorite_scene_in_ms_paint/
O membro de Tormund e a questão da percepção de escala em Westeros .: / u / fat_walda avaliação de quão grande o pau de Tormund Giantsbane realmente éspoilers_all_tormunds_member_and_the_issue_of/
Conclusão
Espero que vocês considerem tal tópico útil.
submitted by HoBaLoy to Valiria [link] [comments]


2019.08.04 02:52 altovaliriano Os primeiros dias do fandom de ASOIAF e Game of Thrones

Link: https://bit.ly/2KtExQJ
Autora: Alyssa Bereznak
Título original: The Last Popular TV Show (How game of Thrones became the last piece of monoculture)

Padraig Butler não se lembra exatamente quando se tornou Deus-Imperador da Brotherhood Without Banners. Nos últimos 18 anos, o gerente demeteorologia aeronáutica de 43 anos fez uma peregrinação anual à Worldcon, a convenção de ficção científica e fantasia, para celebrar o trabalho de George R.R. Martin, autor de As Crônicas de Gelo e Fogo. E foi quase 18 anos atrás, quando ele viajou pela primeira vez de sua cidade natal, Dublin, na Irlanda, para a Filadélfia, que começou a jornada até Imperador-Deus.
Segundo a história, a recém-criada organização - batizada em homenagem a um grupo fora da lei na série de livros - organizou uma festa em homenagem a Martin. Depois de uma noite de bebedeira, um fã bem satisfeito, conhecido em fóruns online como Aghrivaine (e cujo nome real é David Krieger), presenteou o autor com uma espada e pediu para ser armado cavaleiro. O autor concordou sob uma condição: que Krieger e os outros foliões se juntassem a ele em uma "missão" às 1 da manhã ao Pat’s King of Steaks. Naquela noite, depois que cerca de 20 membros da BWB encheram seus estômagos com a comida local, eles foram apelidados de Cavaleiros do Cheesesteak.
Nos primeiros anos do clube de fãs do livro, quando o tamanho dos encontros da Brotherhood Without Banners ainda era administrável, esses títulos voltados para a comida se tornaram um símbolo de honra. (Os Cavaleiros da Poutine, os Cavaleiros do Deep Dish, os Cavaleiros do Haggis e, lamentavelmente, os Cavaleiros da Lixeira). Por decreto de Martin, foram acrescentadas outras honras para reconhecer a participação. Um membro que tivesse participado de pelo menos três grandes encontros da BWB seria apelidado de lorde. Depois das cinco, um príncipe. E depois de sete, rei. Butler já esteve em 16 Worldcons e cerca de 100 outras convenções relacionadas a Thrones e confraternizações pertinentes, protegendo seu reino há muito tempo por meio de seu título de cavaleiro do Cheesesteak. "Eventualmente perguntaram a George, de que chamaremos Padraig agora?" Butler lembra. "Ele disse: ‘É isso. Ele é um rei. Ele vai ficar rei até que alguém o remova do trono’”. Butler não tem planos de parar. "Agora as pessoas apenas dizem: 'Você é o Imperador-Deus'".
Butler visitou um total de 12 países e quatro continentes para se encontrar com seus companheiros de estandarte, construindo uma rede social internacional digna de um líder mundial consagrado. E graças a uma junção de tecnologia e entretenimento, a série de livros indie pela qual ele se apaixonou nos anos 90 se tornou uma espécie de passaporte cultural, tanto uma razão para ver o mundo quanto uma maneira de se conectar com as pessoas que o compõem.
Ao longo dos anos, ele também assistiu com admiração quando Game of Thrones explodiu e se tornou uma peça onipresente da cultura pop diante de seus olhos. Um dia, ele embarcou em um trem e viu vários passageiros lendo os livros de Martin. Então ele olhou para cima para ver outdoors gigantes anunciando a data de estréia da adaptação da HBO. Eventualmente, seus colegas no aeroporto começaram a discutir o programa como uma fonte de turismo. (Uma atração de 110.000 pés quadrados chamada Game of Thrones Studio Tour será aberta na Irlanda na primavera de 2020.) Depois de quase 20 anos celebrando a série, e vendo-a se transformar em best-seller, programa de televisão, universo estendido e a potência da propaganda, ele ainda acha difícil processar o alcance da franquia. "É tipo: Nossa, isso está em toda parte agora."
[...]
Em 1997, Linda Antonsson estava dando uma olha sua livraria local em Gotemburgo, na Suécia, quando se deparou com uma versão em brochura de A Guerra dos Tronos, de George R.R. Martin. Era o primeiro item no que o autor previa ser uma trilogia intitulada As Crônicas de Gelo e Fogo, e contava a história de várias grandes casas disputando o poder nos continentes fictícios de Westeros e Essos, contada a partir da perspectiva de um punhado de personagens interessantes. O livro tinha sido lançado no ano anterior sem muito alarde. "Realmente não fez sucesso quando saira em capa dura", lembra Antonsson. Mas quando ela começou a ler, foi fisgada.
Ninguém mais que ela conhecia havia lido o livro, então ela se voltou à internet em busca de outros fãs de Martin - o que era uma experiência relativamente nova nos anos 90. "Eu lia muita fantasia, mas nunca tive ninguém com quem conversar sobre fantasia", ela me disse. "Eu tinha todas essas coisas que queria discutir e ninguém para conversar." Os cidadãos suecos não conseguiram adquirir suas próprias conexões dial-up até 1995; antes disso, Antonsson ocasionalmente fazia o acesso no centro de informática de sua universidade, onde estudava arqueologia clássica. Quando ela finalmente conseguiu sua própria conexão à Internet, ela navegou de bulletin board em bulletin board, debatendo desde a trilogia O Senhor dos Anéis, de J. R. R. Tolkien à série de livros A Roda do Tempo, de Robert Jordan. “Era um mundo incrível para se entrar, para poder encontrar todas essas pessoas que compartilhavam seu interesse sobre essas coisas que pareciam bem obscuras.”
Através desses primordiais fóruns da internet, Antonsson também descobriu o ElendorMUSH, um RPG multijogador baseado em texto que simulava o ambiente da Terra Média descrito nos romances de Tolkien. (O termo MUSH significa “alucinação compartilhada por vários usuários” [multi-user shared hallucination]. Isso foi antes de World of Warcraft, quando os computadores não tinham placas gráficas poderosas e os jogadores tinham que usar sua imaginação). Foi lá, na “cultura” que Antonsson havia se juntado, que ela conheceu Elio García. Na época, García estudava literatura inglesa e história medieval na Universidade de Miami. E os dois passaram os últimos anos analisando os detalhes mais sutis da Terra Média em árvores de discussão da Usenet, as precursoras dos fóruns on-line. Depois de terminar A Guerra dos Tronos, Antonsson convenceu o cético García a lê-lo também.
Logo eles estavam navegando juntos. Em 1998, a internet estava sendo amplamente usada como um utilitário de busca de informações em vez de uma rede social. Mas com a ajuda de algumas pesquisas no AltaVista, os dois encontraram tantos fóruns de fãs de A Guerra dos Tronos quanto puderam. Entre seus resultados estava Dragonstone, que García lembra ter sido executado via uma conexão de internet instável na Austrália; Harrenhal, que foi construído sobre a plataforma de serviços web Angelfire da Lycos (quee de alguma forma ainda existe hoje); e um fórum chamado Canção de Gelo e Fogo, dirigido por um usuário chamado “Revanshe.” Isso foi na época em que o mundo do entretenimento estava começando a entender o poder de marketing de mitos na internet. E, ao fuçar os fóruns de fãs dedicados à série Wheel of Time, Antonsson havia testemunhado em primeira mão como pistas e pontos da trama não resolvidos motivavam conversas. Ela viu o mesmo fervor se desdobrando com ASOIAF.
"Algumas das maiores e mais intensas discussões sempre foram sobre mistérios", disse Antonsson. "O primeiro tópico que eu lembro de ter lido no fórum de Pedra do Dragão foi a discussão sobre a paternidade de Jon e as poucas pistas que existiam depois do primeiro livro."
O fórum ASOIAF de Revanshe acabou se tornando grande em 1998, acumulando o que García estimava em cerca de 1.000 usuários regulares. Quando chegou a hora de Revanshe ir para a faculdade de medicina, ela passou o site para García, que já havia se tornado um moderador.
Enquanto isso, García e Antonsson estavam planejando começar seu próprio jogo MUSH em Westeros. Para garantir uma representação fiel, eles colocaram sua formação acadêmica em prática e tornaram-se geologistas, botânicos, zoólogos, antropólogos e historiadores autônomos de Westeros, registrando todos os fragmentos de dados que poderiam extrair de de Guerra dos Tronos em um documento do Microsoft Word chamado “The Concordance”. Eles compartilharam o banco de dados no fórum ASOIAF, pavimentando o caminho para a fundação da enciclopédia on-line feita por fãs, que hoje é conhecida como A Wiki of Ice and Fire. A wiki, que seria desenvolvido alguns anos depois, é composto de 23.081 páginas de conteúdo e passou por 236.642 edições desde o seu lançamento. Também inspirou a fundação de 11 sites irmãos em idiomas estrangeiros.
Observando os fóruns de fãs da Roda do Tempo, eles também estavam cientes de que a correspondência com os autores era freqüentemente perdida em tópicos separados. Então foi nessa época que eles começaram a registrar as entrevistas de Martin, e-mails, respostas em fóruns e postagens em blogs pessoais. (Naquele ano eles fizeram seu primeiro momento de contato com o autor, para pedir permissão para fazer o jogo MUSH. Meses depois, ele concordou, e os dois ainda tocam o A Song of Ice and Fire MUSH como um projeto paralelo).
O crescimento constante dos seguidores on-line de Martin - emparelhado com seu envolvimento na cena de ficção científica e fantasia desde os anos 1970 - gerou uma quantidade razoável de novidades para o segundo fascículo da série de Martin, A Fúria dos Reis. "Martin não pode rivalizar com Tolkien ou Robert Jordan, mas ele se qualifica com perfeitos medievalistas de fantasia como Poul Anderson e Gordon Dickson", escreveu um Publisher's Weekly cautelosamente otimista. À época, Peter Jackson estava se preparando para filmar a trilogia de filmes de O Senhor dos Anéis, e produtores e cineastas que viam potencial no gênero de fantasia começaram a sondar Martin pelos direitos de sua história. (Ele hesitou, convencido de que sua história nunca poderia ser esmagada no formato de filme).
Foi quando a coisa entre García e Antonsson ficou séria em mais de uma maneira. Por dividirem o gosto por Tolkien, Jordan e Martin, um romance floresceu e, alguns meses depois de Fúria ser lançado, García se mudou para a Suécia. Todos com quem eles conversaram sobre a série estavam apaixonados por ela. “Nós tínhamos alguns proselitistas que falavam em arremessar os livros em amigos, familiares, colegas de trabalho, etc.”, disse García por e-mail. “E foi tudo muito orgânico. A Random House não passava seu tempo vasculhando maneiras de nos vender ou fazendo com que trabalhássemos para eles, os fãs só fizeram isso porque gostavam”.Encorajados pelo fato de o livro inicial não ter sido o único, eles lançaram o site Westeros.org, reunindo os fóruns que herdaram, os dados de “The Concordance” e seus registros dos declarações públicos de Martin. Começou como um projeto paralelo executado em um servidor miudo em casa, enquanto continuavam a perseguir seus respectivos objetivos acadêmicos. Mas, eventualmente, se tornaria a principal fonte de análise e informação sobre o universo, seu autor e tudo mais.
Enquanto isso, a série de Martin continuou atraindo mais leitores e tornando-se mais difícil de lidar. O manuscrito de seu terceiro livro, A Tormenta de Espadas, tinha 1.521 páginas, e alguns editores não conseguiram manter tudo em um volume. Mas seu apoio entre a comunidade on-line da fantasia ficou mais forte do que nunca, e a Publisher’s Weekly chamou esse fascículo de “um dos exemplos mais gratificantes de gigantismo na fantasia contemporânea”. Quando foi lançado em 2000, estreou em 12º lugar na lista de best-sellers do New York Times.
No momento em que Martin lançou O Festim dos Corvos em 2005, ele garantiu seu lugar como o proeminente escritor de fantasia da década. O livro chegou ao topo da lista de best-sellers do New York Times e a Time o apelidou de "o Tolkien americano". Mas ele também se deparou com os mesmos problemas com Festim que com Tormenta. Sua solução foi dividir Festim em dois e contar a história de apenas metade dos personagens, em vez de metade da história de todos os personagens. Ele explicou tudo no post scriptum do quarto livro, logo após um final instigante. "Olhando para trás, eu deveria ter antevisto", escreveu Martin em seu site pessoal em 2005. "A história faz suas próprias demandas, como Tolkien disse uma vez, e minha história continuou pedindo para ficar maior e mais complicada."
O que pode ter sido uma limitação editorial frustrante para Martin foi uma fonte quase enlouquecedora de suspense para sua crescente base de fãs. Depois de esperar cinco anos entre o terceiro e o quarto livro, os leitores ainda ficaram imaginando o destino de favoritos como Jon Snow, Tyrion Lannister e Daenerys Targaryen. O próximo fascículo seria lançado em 2011, seis agonizantes anos depois. E foi durante esses períodos de silêncio, quando os fãs não tinham material novo com o qual se ocupar, que eles começaram a se concentrar em criar os seus próprios. "Não tenho certeza se a popularidade que antecede os livros poderia ter acontecido se os livros tivessem saído muito rapidamente", disse Antonsson. “Ter tempo entre uma série de livros é o que alimenta a discussão nas comunidades. Dura mais”.
O acesso digital e as plataformas sociais estavam evoluindo para apoiar esses tipos de obsessões. Entre 1995 e 2005, o uso global da Internet aumentou de 44,4 milhões de usuários para 1,026 bilhão. Plataformas simples para blogs, como LiveJournal, WordPress e Xanga, tornaram mais fácil para as pessoas iniciarem blogs pessoais e compartilharem suas ideias sobre qualquer coisa, independentemente de quão arbitrárias ou específicas. E as primeiríssimas redes sociais da web, incluindo o MySpace e o Facebook, estavam na infância, assim como o conceito de podcasting.
Enquanto Martin continuava atualizando sua base de fãs através de um LiveJournal chamado Not a Blog, seus fãs adoradores lidavam com sua impaciência de formas cada vez mais criativas. A maioria preferiu vasculhar os fóruns de Westeros.org ou Tower of the Hand, onde puderam analisar todas as teorias possíveis em torno de cada enredo e propor suas próprias. Uma facção de leitores impacientes se separou para formar uma comunidade ressentida conhecida como GRRuMblers. O fundador do site Winter Is Coming, Phil Bicking se agarrou a um anúncio de 2007 de que a HBO adquirira os direitos da série As Crônicas de Gelo e Fogo, e redirecionou sua energia para um site do Blogger que registrava o elenco, as filmagens e a produção da série. Mesmo antes de o piloto ter sido filmado, os fãs no site de Bicking começaram a tratar os anúncios do elenco como mistérios não resolvidos. Como um colunista de fofoca, Martin iria postar dicas sobre quem foi escalado para determinado papel em seu blog, para alimentar a chama. "Então a base de fãs passaria dias debruçado sobre aquilo, tentando desvendar o teste", disse Bicking. “Nós descobrimos todos eles. Fiquei chocado que as pessoas foram capazes de descobrir até mesmo Isaac Hempstead Wright, que interpreta Bran, e estava em um comercial antes disso”. Bicking se lembra de ter começado dois tópicos separados para discutir rumores e vê-lo ser encher com quase 1.000 comentários cada um. “Então, eu fiquei tipo: 'OK, eu tenho aqui uma comunidade dedica e de bom”, disse ele. A grande imprensa estava tomando conhecimento". Algum programa de TV recente gerou mais entusiasmo on-line, sendo que nem mesmo é um programa de TV?", perguntou o The Hollywood Reporter em 2010.
Quando a HBO estreou Game of Thrones em 2011, Martin já era famoso. Ele havia vendido mais de 15 milhões de livros em todo o mundo, fora retratado pelo The New Yorker e poderia levar sua legião de adoradores e haters ao frenesi com uma simples foto de férias postada em seu LiveJournal. Tudo isso significava que, quando o programa estreou em 17 de abril, ele se saiu bastante bem segundo os padrões de televisão. Cerca de 2,22 milhões de pessoas assistiram à estreia, o que foi menos do que o número de espectadores conquistados por Storage Wars da A&E e por The Killing da AMC, e mais do que Khloe & Lamar do E!.
Ainda assim, a crítica o recebeu de forma foi irregular. Embora muitos analistas tenham elogiado a capacidade da HBO de estabelecer um palco exuberante e cativante para a história complexa e abrangente de Martin, outros a consideraram um sinal de declínio da rede. Slate o chamou de “lixo de fantasia semi-medieval e repleto de dragões”. O New York Times o descreveu como “drama em traje de época com pingue-pongue sexual”. Em uma fala indicativa de uma conversa muito maior sobre a legitimidade da cultura nerd e sua perceptível falta de inclusão de gênero, a crítica Ginia Bellafante detonou o show por glorificar “a ficção infantil paternalmente acabou atingindo a outra metade da população”, e concluiu que “se você não é avesso à estética de Dungeons & Dragons, a série pode valer a pena”.
Enquanto isso, os servidores da Westeros.org estavam caindo. A agitação que antecedeu a estreia do programa deixou García e Antonsson com cerca de 17.000 membros registrados no Westeros.org. Mas o casal estava totalmente despreparado para a onda de interesse que se seguiu à estréia da série. Na noite em que foi ao ar, o site foi torpedeado pelas buscas do Google, e os dois cuidavam de seu único servidor como um recém-nascido com cólica. Para desviar o fluxo de tráfego, García ajustou o site para que apenas os membros registrados pudessem ver as postagens. "Eu imaginei que isso impediria as pessoas de entrarem", disse ele. No dia seguinte, ele acordou com 9.000 novas solicitações de conta. García passou horas aprovando manualmente os recém-chegados. A espera entre o terceiro e o quarto romance estimulou um aumento lento e constante de fãs, talvez um ou dois mil membros por ano entrando no fórum. Mas com a chegada do programa de TV, eles poderiam acumular vários milhares em um único dia. "Foi impressionante", disse García. “Os membros do nosso fórum chamaram a onda de novas pessoas de 'The Floob' - uma enxurrada de noobs.” Foi nessa época que García e Antonsson abandonaram suas atividades acadêmicas para se concentrarem no site em tempo integral.
Embora o casal tenha perdido alguns dos dados do número de visitantes dos primeiros dias, Antonsson lembra-se de ter assistido a vazão e o refluxo do tráfego em A Wiki of Ice and Fire quando os recém-chegados reagiram aos principais pontos da trama da primeira temporada. Esses picos foram particularmente pronunciados no episódio 9, quando o herói do programa, Ned Stark, foi executado inesperadamente. “Logo após o episódio terminar, todo mundo foi até a página de Ned Stark para checar: Ele está bem? Né?” - lembrou Antonsson. (Ele não estava.) O final da temporada do show foi assistido ao vivo por cerca de 3,04 milhões de lares - cerca de 820 mil a mais do que a estréia. A primeira temporada mais tarde viria a ser indicada para 13 Emmys e ganharia dois, para Melhor Design de Abertura e para a performance de Peter Dinklage como Tyrion na categoria Melhor Ator Coadjuvante em série dramática. Ao matar o herói de Westeros antes mesmo que a temporada terminasse, Benioff e Weiss chocaram seus espectadores menos maduros, agradaram os superfãs dos livros e plantaram uma semente de curiosidade que sustentaria a série ao longo dos próximos oito anos.
O que García e Antonsson testemunharam em seu site naqueles primeiros dias se assemelhava à conversa em duas frentes de Game of Thrones que logo surgiria na mídia e na internet como um todo. Depois de cada novo episódio televisivo, aqueles que não leram os livros (agora presumivelmente na casa dos milhões, tendo em conta a audiência do programa) correm para a Internet em busca de contexto, enquanto os leitores de livros (também uma base crescente) riem de diversão e depois analisam as diferenças entre o show e o cânone. Essa “camada paralela” de conversação, como a T Magazine do New York Times a chamou, pode ao mesmo tempo fornecer aos recém-chegados uma melhor compreensão do universo de Westeros e permitir que os veteranos testassem seu conhecimento detalhado do cânone em contraste com o show.
[...]
E há o Deus Imperador Butler. Embora o programa esteja chegando ao fim e não esteja claro se ou quando os livros remanescentes de Martin serão publicados, a comunidade que ele aprecia sobre Thrones continua viva. Em agosto, muito depois do final da série, ele participará de sua 17ª reunião da Brotherhood Without Banners na Worldcon em Dublin. "Seria meio triste não ir", disse ele.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2017.09.15 07:43 ComoUmCamaleao Jovem Conservador de Direita e o Tony Carreira

Quero demonstrar aqui a minha solidariedade para com o Dr. Tony Carreira e repudiar o ataque vil de que este está a ser alvo por parte do Tribunal Constitucional. Isto não é forma de tratar o melhor artista português da actualidade. Eu não sei se o Dr. Tony Carreira plagiou. E se plagiou? É assim tão importante?
Eu não sou músico, mas uma vez no duche inventei, do nada, uma canção muito bonita chamada “My way.” Mais tarde, vim a saber que, por pura coincidência, o Dr. Frank Sinatra tinha composto uma música exactamente igual à minha. Não vou discutir a autoria desta música. Eu sei que não copiei esta música ao Dr. Frank Sinatra e seria capaz de pôr as mãos no fogo pelo Dr. Frank Sinatra. É assim tão complicado reconhecer que duas pessoas conseguiram criar a mesma música em momentos diferentes? Isto pode ter acontecido ao Dr. Tony Carreira 11 vezes. Já não há muito para criar na área da música e é perfeitamente possível que ele tenha composto músicas que já tinham sido compostas por outros. Os artistas que ele alegadamente plagiou é que se deviam sentir honrados por terem composto músicas iguais àquelas que o maior artista português veio a compor. Eu, pelo menos, senti-me orgulhoso por, apesar de ser um mero amador, ter conseguido compor uma música tão popular como a “My Way.” É claro que não espero ganhar royalties. Mesmo que mos quisessem oferecer não aceitava. Prefiro abdicar desse dinheiro a ser considerado “artista.”
Além disso, criticar o Dr. Tony Carreira por plágio é injusto porque é assumir que o mais importante na carreira dele são as músicas. Não é. Ele até podia gravar um álbum inteiro a gritar a palavra pinheiro que as fãs dele iam continuar a gostar dele. Mais do que um músico, o Dr. Tony Carreira é um empreendedor da música. Analisou o mercado e percebeu que há um conjunto de senhoras com necessidades emocionais. Os seus maridos não as estão para aturar e preferem ficar em casa a beber cerveja e a ver futebol, por isso pagam ao Dr. Tony Carreira para serem homens sensíveis para as suas esposas no lugar deles. Assim, podem ver futebol à vontade, enquanto as mulheres estão na cozinha a trabalhar para eles e a suspirar pelo Dr. Tony Carreira. Deitar essa responsabilidade para cima do Dr. Tony Carreira é uma jogada muito inteligente dos maridos pouco sensíveis destas senhoras, que lhes permite salvar o seu casamento. Porque, por mais sensível que seja, o Dr. Tony Carreira nunca vai dormir com todas as fãs e, enquanto elas estão obcecadas por ele, não prestam atenção a potenciais amantes reais com quem se cruzam no dia-a-dia.
A influência do Dr. Tony Carreira no mercado feminino de senhoras com problemas emocionais tornou-o no homem mais influente do retalho nacional Ao ponto de o Continente ter para poder vender pepinos, esfregonas e produtos de limpeza a essas senhoras, se ter decidido associar a ele, dando-lhe um lugar cativo no Piquenicão. O Dr. Tony é o CEO não oficial da Sonae. Consegue vender mais produtos a donas de casa do que qualquer outra pessoa. Até eu olho para o Dr. Tony Carreira e fico com vontade de comprar couve galega, nabos e um cachecol da selecção.
O Dr. Tony Carreira é um homem de negócios tão brilhante que decidiu criar um franchise do seu nome. Produziu dois clones e colocou-os a render no mundo da música, para diferentes targets. O primeiro, o Dr. Mickael canta música para aquelas senhoras que gostam de música latina, mas não o suficiente para se darem ao trabalho de ouvir alguém a cantar em castelhano. O Dr. David Carreira produz música para um público mais urbano, com as suas ligações ao mundo do gangsta rap norte-americano. O Dr. David Carreira é como se o Dr. Justin Timberlake tivesse um filho biológico com um Seat Ibiza verde fluorescente e uma garrafa de azeite Gallo. É uma figura de estilo, escusam de imaginar o Dr. Justin Timberlake a fazer amor com um veículo e uma garrafa de azeite. Enfim, a única coisa que os três Carreiras têm em comum é que a música deles é intemporal: é uma porcaria hoje e será uma porcaria até ao final dos tempos. Mas isso não importa. O que importa é que vençam no mercado da cultura.
Só vamos na segunda geração de Carreiras. É uma dinastia que ainda está no início. Daqui a 50 anos, teremos cerca de 500 Carreiras a dominar todo o establishment cultural português. A continuar assim, os únicos intelectuais do país vão ser da família Carreira. Mas a culpa não é deles. Se chegaram a esse nível é porque mereceram e não estiveram parados à espera de subsídios para executarem a sua arte, como outros artistas. Se uma arte precisa de subsídios para sobreviver é porque não precisa de existir.
O que estão a fazer ao Dr. Tony Carreira é um ataque à cultura portuguesa. Ele é muito mais do que a alegada música que canta ou plagia. É uma corporação que faz andar a nossa economia e dá felicidade a muitas senhoras infelizes. Acusá-lo de plágio é como acusar a EDP de plagiar o Dr. Thomas Edison.
@ https://www.facebook.com/jovemcd/photos/a.990704590972708.1073741828.990373951005772/1559339450775883/?type=3&theater
submitted by ComoUmCamaleao to portugal [link] [comments]


2016.12.07 23:14 KoboGlo [BATE-PAPO] Quando é justificável se derramar sangue?

A barbárie e a guerra nunca desapareceram do nosso planeta, inclusive, esta última sendo praticada até mesmo por animais ditos irracionais. Entretanto, o avanço das instituições e desenvolvimento tecnológico nos permitiram reduzir a guerra e os conflitos internos a algo pontual e não generalizado. Isto dito, proponho a discussão do papel do emprego da força na sociedade atual.
Em 2003 o Iraque foi invadido e milhares de pessoas morreram, a justificativa foi a possibilidade do país possuir armas de destruição em massa, o motivo: petróleo. França – 1789, Revolução. Justificativa: liberté, égalité, fraternité – porré! Depois de um inverno desgraçado, os franceses sem poder estavam com um rombo na barriga do tamanho do oco do Jailson. O resultado notório todos conhecem, uma canção de guerra foi feita Hino e iniciou-se uma nova era no país das baguetes.
A pergunta que faço é a seguinte - quando é justificável, se justificável, derramar o sangue de outros seres humanos para algum fim ideal? Digo ideal pois todos falam da França mas o desfecho daquilo poderia ter sido radicalmente diferente como nos mostra a história em diversos casos. Seria aquilo que os Americanos tem como constituição, "levantar armas contra a opressão” e “dever de defender um Estado livre” algo concebível nos dias atuais?
Espero ter sido entendido.
submitted by KoboGlo to brasil [link] [comments]